Início » Internacional » Depois de legalizar maconha, Uruguai declara ‘guerra’ ao álcool
Uruguai

Depois de legalizar maconha, Uruguai declara ‘guerra’ ao álcool

Presidente uruguaio toma ações contra o consumo de álcool parecidas com as que tomou contra o tabaco em seu primeiro mandato

Depois de legalizar maconha, Uruguai declara ‘guerra’ ao álcool
Em um país onde 260 mil pessoas são afetadas pelo uso problemático das bebidas alcoólicas, segundo dados oficiais, o governo de Tabaré Vázquez resolveu tomar medidas contra o consumo (Foto: Pixabay)

Desde o início do século XX, o Uruguai contou com uma tradição liberal, quando consagrou o Estado laico e aprovou leis pioneiras na região sobre temas sociais como o divórcio por iniciativa da mulher e o voto feminino. Recentemente, o país se tornou o primeiro do mundo a ter um mercado legal de maconha, em 2013, no governo do ex-presidente José Mujica. No entanto, agora no governo de Tabaré Vázquez, o Uruguai declarou “guerra” ao álcool.

Em um país onde 260 mil pessoas são afetadas pelo uso problemático das bebidas alcoólicas, segundo dados oficiais, o governo de Tabaré Vázquez resolveu tomar medidas contra a questão. O governo já anunciou um projeto de lei para estender o veto à venda de álcool das 22h até às 8h do dia seguinte, que atualmente é de 0h às 6h, excluindo bares, restaurantes e casas noturnas.

Restrições de Vázquez

O médico oncologista Tabaré Vázquez prometeu ações “muito fortes” contra o alcoolismo. Elas se assemelham às ações tomadas contra o tabaco em seu primeiro mandato (2005-2010), quando o Uruguai se tornou, em 2006, o segundo país da América Latina, e o sexto do mundo, a proibir o fumo em espaços públicos fechados.

No segundo mandato, Vázquez enviou um projeto de lei ao Congresso para impedir que motoristas de veículos ingiram qualquer quantidade de álcool, baixando do atual 0,3 a 0 grama de álcool por litro de sangue.

“O consumo social de um copo de uísque, vinho (…) ou o que seja não está proibido”, afirmou Juan Andrés Roballo, secretário da presidência uruguaia, à BBC Mundo. “O que está proibido é juntá-lo com outras atividades, como dirigir”.

As proibições não se limitam somente ao álcool. No ano passado, Montevidéu, a capital do país, proibiu restaurantes, bares e outros pontos de venda de comida de colocar sal nas mesas sem que os clientes peçam, para proteger a saúde deles. Além disso, no Carnaval deste ano, a polícia indicou que estavam proibidos “fantasias ou estandartes que satirizem ideias religiosas, políticas, filosóficas ou étnicas”, assim como brincadeiras com água e queima de foguetes.

 

Fontes:
BBC Mundo-Primeiro país a legalizar maconha, Uruguai declara 'guerra' ao álcool
O Jornal de Hoje-Novo presidente do Uruguai assume e anuncia guerra ao consumo de álcool
El País-No más alcohol por la noche

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    É a crise dos valores da pós-modernidade. No Brasil também é assim como bem sintetizou Stanislaw Ponte Preta (Sérgio Porto) em seu “Febeapa”. Implicam com quem bebe uma simples cerveja ou fuma tabaco, mas relativizam o uso de outras drogas mais pesadas e querem liberar a maconha.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *