Início » Internacional » Desilusão política impulsiona populismo na Itália
ELEIÇÕES ITALIANAS

Desilusão política impulsiona populismo na Itália

Vitória de coalizão de partidos que pregam retóricas populistas e anti-imigrantes nas eleições reflete pessimismo do país com a política tradicional

Desilusão política impulsiona populismo na Itália
Negociação para formação de um novo governo deve se arrastar até que haja consenso (Foto: Flickr/euronews)

O resultado das eleições italianas, ocorridas no último domingo, 4, revelam um cenário preocupante no país. Com quase 75% das urnas apuradas, tudo indica a vitória da coalizão de centro-direita, que inclui o partido de centro-direita Força Itália, de Silvio Berlusconi, e os radicais Liga Norte e Irmãos da Itália.

Juntos, os três partidos somaram 37% dos votos. Em segundo lugar, ficou o Movimento Cinco Estrelas (M5S), também radical, que obteve 31% dos votos e deve se consolidar como a principal força isolada no Parlamento italiano.

Em contraponto, partidos tradicionais receberam poucos votos. O de centro-esquerda Partido Democrata (PD), por exemplo, legenda do ex-primeiro-ministro Matteo Renzi, recebeu apenas 22% dos votos, metade do registrado nas eleições de 2014.

Apesar da vitória da coalizão de centro-direita, nenhum dos partidos que compõem a aliança poderá governar sozinho, já que nenhum deles obteve votos suficientes para isso. A fragmentação deve resultar em negociações acirradas no Parlamento, que devem se arrastar até que um consenso seja obtido e um novo governo seja formado.

O resultado das eleições revela uma Itália pessimista, decepcionada com a política tradicional e cada vez mais voltada para retóricas populistas e xenófobas. O partido Força Itália, de Bersluconi, é conhecido por sua retórica populista. O Liga Norte tem um discurso anti-imigrantes e seu líder, Matteo Salvini, prega uma mensagem que pode ser considerada uma versão italiana do America First, do presidente americano Donald Trump. Já o Irmãos da Itália é uma legenda de ultra-direita populista.

A maior força isolada do parlamento, o MC5, também é radical. Fundado em 2009, pelo comediante Beppe Grillo, o partido é anti-União Europeia, anti-sistema e tem na maioria de seus eleitores italianos desiludidos.

Fontes:
DW-Avanço do populismo leva incerteza à Itália

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *