Início » Internacional » Direção segura nos EUA ainda não é uma realidade
perigo ao voltante

Direção segura nos EUA ainda não é uma realidade

Apesar das condições melhores de trânsito nas estradas dos Estados Unidos, dirigir ainda é um fator de alto risco

Direção segura nos EUA ainda não é uma realidade
comparado a outros países, o progresso dos EUA foi medíocre (Foto: Wikimedia)

Motoristas embriagados são apenas um dos muitos perigos das estradas dos Estados Unidos. Em 2014, 32.675 pessoas morreram em acidentes de trânsito. Em 2013, o último ano com informações detalhadas disponíveis, cerca de 2,3 milhões de pessoas ficaram feridas, o que corresponde a um em cada 100 motoristas com carteira de habilitação. Esses números são menores do que há alguns anos, mas ainda é uma situação bem mais grave do que em qualquer outro país desenvolvido. Em cada bilhão de quilômetros rodados, cerca de 11 pessoas morrem. Se as estradas dos EUA fossem seguras como as da Irlanda, o número de vidas salvas todos os anos equivaleria à prevenção de todos os assassinatos no país.

Em quase todos os países desenvolvidos os acidentes fatais nas estradas são cada vez mais raros; os carros modernos são muito mais seguros, com carrocerias com deformação programada, airbags, cintos de segurança, freios ABS e dispositivos que mantêm o carro em uma velocidade pré-programada. Mas comparado a outros países, o progresso dos EUA foi medíocre. E, em certos aspectos, piorou. Por exemplo, de 2009 a 2013 a morte de pedestres aumentou 15% à medida que a economia se recuperava. No Reino Unido, no mesmo período, o número caiu para um quinto.

Muitos estados são tão seguros para dirigir como a Europa: New Jersey, Rhode Island e Massachusetts têm taxas baixas de acidentes de trânsito. Porém na região rural, pouco povoada, onde as pessoas dirigem por longas distâncias em estradas vazias, os índices de acidentes fatais são chocantes. Em 2014, 131 pessoas morreram em Wyoming, uma taxa de mortes em acidentes de trânsito superior à da maioria dos países da África subsaariana. Segundo a Wyoming Highway Patrol, os motoristas que se recusam a usar cinto de segurança são os que correm mais riscos de acidentes fatais.

Outro comportamento de risco também é tolerado. Como se os bares à beira da estrada já não fossem suficientemente perigosos, os motoristas em Louisiana têm o hábito de pararem para beber um daiquiri para relaxarem antes de continuar a viagem. Quase um terço das mortes em acidentes de trânsito nos EUA é resultado do uso abusivo do álcool. O número de motociclistas mortos todos os anos mais do que duplicou a partir do final da década de 1990, não só porque foram construídas mais estradas no país, como também porque em 31 estados, a maioria dos motociclistas adultos não é obrigada a usar capacete.

Fontes:
The Economist-Road kill

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *