Início » Internacional » Dirigente chinês propõe política de dois filhos
Proposta polêmica

Dirigente chinês propõe política de dois filhos

China enfrenta problemas decorrentes do envelhecimento da população e do desequilíbrio entre o número de homens e mulheres

Dirigente chinês propõe política de dois filhos
China pode mudar política do filho único (Fonte: Reprodução/Reuters)

Um alto funcionário chinês, que é vice-diretor da comissão de planejamento familiar da província de Shanxi, afirmou que a China deveria abandonar a polêmica política do filho único e obrigar os casais a terem dois filhos.

A declaração de Mei Zhiqiang, que foi reproduzida pelo site governamental sxrb.com, recebeu muitas críticas da imprensa estatal.

A fim de conter um forte crescimento populacional, a China introduziu há pouco mais de 30 anos a política do filho único. Atualmente, no entanto, o país vem enfrentando problemas decorrentes do envelhecimento da população e do desequilíbrio entre o número de homens e mulheres, alimentado pela preferência das famílias em ter um menino.

Um editorial do jornal Global Times, que é ligado ao Partido Comunista chinês, afirma que as intenções de Mei Zhiqiang “talvez sejam sinceras”, mas ressaltou que a política de dois filhos não pode ser imposta aos casais e que a melhor opção seria manter a atual política do filho único, que foi recentemente flexibilizada para permitir mais nascimentos na China.

O governo chinês decidiu permitir que casais nos quais pelo menos um integrante é filho único possam ter dois filhos. Apesar da mudança, não houve um aumento do número de partos no país.

Estudos mostram que as famílias chinesas se acostumaram com a política do filho único e com o tamanho reduzido dos apartamentos. Além disso, o custo de vida em geral desanima os pais a tentarem um segundo filho.

Fontes:
G1 - Alto funcionário chinês propõe política de 2 filhos obrigatórios

1 Opinião

  1. rene luiz hirschmann disse:

    O que chama atenção é a responsabilidade desse povo, o planejamento, países Americanos e africanos onde a pobreza predomina e mesmo a fome campeia, não existe essa preocupação,

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *