Início » Internacional » Distúrbios psicológicos justificam a eutanásia na Bélgica
'Direito de morrer'

Distúrbios psicológicos justificam a eutanásia na Bélgica

Entre outubro de 2007 e dezembro de 2011, 100 pessoas com transtornos psiquiátricos foram a uma clínica belga solicitar eutanásia, sendo que 35 foram autorizadas a receber injeção letal

Distúrbios psicológicos justificam a eutanásia na Bélgica
Atualmente, o procedimento não se aplica apenas aos pacientes com doença física terminal (Foto: Pixabay)

A Bélgica legalizou a eutanásia em 2002. Atualmente, o procedimento não se aplica apenas aos pacientes com doença terminal, ainda que seja a grande maioria dos casos, mas também a uma minoria aparentemente crescente de pacientes que sofrem com males psicológicos.

Entre outubro de 2007 e dezembro de 2011, 100 pessoas foram a uma clínica, na Bélgica, com depressão, esquizofrenia e Síndrome de Asperger, querendo realizar a eutanásia. Os médicos consideraram que 48 dos pacientes estavam em condições “intratáveis” e “insuportáveis”, e que, portanto, poderiam receber a injeção letal; 35 deles aceitaram. A informação é de um artigo da psiquiatra, Lieve Thienpont, publicado no jornal britânico BMJ Open.

Os resultados da pesquisa mostraram que a depressão e transtornos de personalidade são os diagnósticos mais comuns em pacientes psiquiátricos que solicitam a eutanásia. Segundo Thienpont, mais pesquisas são necessárias, especialmente estudos quantitativos e qualitativos, para obter uma melhor compreensão dos pacientes com transtornos psiquiátricos que solicitam a eutanásia devido ao sofrimento psicológico insuportável.

Thienpont reconhece que “o conceito de ‘sofrimento insuportável’ ainda não foi definido de forma adequada” e que “não há diretrizes para a gestão de pedidos de eutanásia em razão do sofrimento mental na Bélgica”.

O que é notável sobre a eutanásia na Europa tem sido a sua tendência a se expandir, uma vez que o tabu contra a morte assistida por um médico foi quebrado em favor de conceitos mais maleáveis, como a “autonomia do paciente.”

Fontes:
The Washington Post-Europe’s sinister expansion of euthanasia

2 Opiniões

  1. Rogerio Faria disse:

    Em um País com mente jurássica e alimentadas pelas igrejas este assunto é tabu.

  2. Roberto1776 disse:

    É muito triste a situação de sofrimento mental insuportável e mais ainda quando o legislador não se aprofunda no assunto.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *