Início » Internacional » Doentes de países pobres sofrem sem remédios
Saúde

Doentes de países pobres sofrem sem remédios

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, por ano, 4,8 milhões de pessoas que padecem de câncer não recebem tratamento adequado.

São milhares os doentes de países pobres de todo o mundo que sofrem com fortes dores e não têm acesso a medicamentos como a morfina ou até mesmo a papoula de ópio – que é barata, eficiente e aprovada para uso médico, respeitando a legislação de cada país.

Mas isso não acontece só por causa da pobreza. Os médicos têm medo de viciar os pacientes nesses tipos de narcóticos e os profissionais de saúde chegam a temer serem acusados de crimes com drogas.

Na Índia, poucos se beneficiam de morfina e ópio

Apesar de o ópio ter sido um dos produtos principais exportados pela Índia sob o domínio britânico, e de o país até hoje produzir mais para o mercado legal de morfina do que qualquer outro, poucos indianos tiram proveito disso. A maioria passa seus últimos dias em agonia, sem esses remédios que poderiam lhes aliviar a dor.

A Índia lidera as estatísticas de câncer na boca e na cabeça, e apresenta altas taxas de câncer nos pulmões, cervical e tórax, devido ao consumo de tabaco e noz de betel.

 

Fontes:
NY Times - Drugs Banned, Many of World’s Poor Suffer in Pain
NY Times - In India, a Quest to Ease the Pain of the Dying

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. EDVALDOTAVARES disse:

    OS SOFRIMENTOS QUE PODERIAM SER MITIGADOS. As pessoas que nunca viram doentes em sofrimento nos hospitais e nem ao menos tiveram parentes com doenças graves e crônicas, desinformadas, emitem opiniões fúteis, inoportunas e levianas que muitas vezes interferem prejudicando decisões médicas. Essas pessoas atemorizam, chegando a levantar acusações contra médicos quando tomam conhecimento de resultados desfavoráveis. Em muitos casos de morte de doentes em estágio avançado, são os próprios familiares que levantam suspeitas de que o tratamento instituído estava errado e o medicamento ministrado levou à incapacitação e à morte. Quase que diariamente os veículos de comunicações reportam notícias desta natureza. Os médicos, com a finalidade de se resguardarem contra leviandades de familiares e acompanhantes, muitas vezes evitam procedimentos arriscados, que poderiam proporcionar mais conforto aliviando o sofrimento dos pacientes. O alto índice de câncer na boca, garganta e laringe, pulmões e intra-torácicos, na Índia, resultantes do tabaco, são devidos as alterações genéticas que produzem proteínas que vão dar origem ao câncer. Deve ser lembrado que a planta do fumo absorve o urânio 238 (substância radioativa) do solo, que nas suas folhas sofrem o decaimento para o polônio 210 (outra substância radiativa). Essas folhas, transformadas em fumo, são empregadas na fabricação do cigarro e talvez responsáveis pelas graves alterações genéticas recentemente descobertas. "BRASIL ACIMA DE TUDO". MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *