Início » Internacional » Dois palestinos invadem sinagoga em Jerusalém e matam quatro judeus
Jihad

Dois palestinos invadem sinagoga em Jerusalém e matam quatro judeus

Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, acusa Mahmoud Abbas e Hamas de incentivarem ataques contra Judeus

Dois palestinos invadem sinagoga em Jerusalém e matam quatro judeus
Policiais interditam local do atendado, o mais grave dos últimos anos na cidade santa (Foto: Reprodução/AFP)

Dois homens invadiram uma sinagoga em Jerusalém e mataram quatro pessoas nesta terça-feira, 18. Outras oito ficaram feridas no ataque. O atentado, um dos mais graves nos últimos anos na cidade, gerou reação do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. Ele culpou o líder Mahmoud Abbas e o grupo terrorista Hamas pelo ocorrido.

Após invadirem a sinagoga e realizarem o ataque, os dois terroristas foram mortos pela polícia local. Segundo a porta-voz da polícia local, Luba Samri, os terroristas usaram facas, machado e uma pistola no atentado.

“Dois terroristas entraram na sinagoga do bairro de Har Nof. Atacaram com machados, facas e uma pistola. Quatro fiéis morreram. Os policiais que chegaram ao local abriram fogo e mataram os dois terroristas”, disse Luba.

Os dois terroristas palestinos foram identificados como os primos Gassan e Uday Abu Jamal, moradores da Jerusalém Oriental.

Netanyahu afirmou que o ataque é culpa do presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, e do grupo terrorista Hamas, por incitar ataques aos Judeus pelos Palestinos. “Este é um resultado direto do incitamento pelo Hamas e por Abu Mazen (como é conhecido Abbas), uma provocação que a comunidade internacional irresponsavelmente ignora. Vamos responder com mão firme a este brutal assassinato de judeus”, disse o primeiro-ministro judeu.

O Hamas que comemorou o ato e disse que o atentado é uma resposta ao assassinato do mártir Yusef Ramuni, um motorista de ônibus palestino que foi encontrado morto na Jerusalém Oeste. Já Mahmoud Abbas condenou o ataque à “fiéis que oravam em uma sinagoga” e afirmou lamentar a morte de civis de qualquer um dos lados.

Segundo testemunhas, após o ataque, policiais foram até o bairro onde os suspeitos moravam e entraram nas casas dos familiares. Há relatos do uso de armas não letais como bombas de gás lacrimogêneo.

O vice-porta-voz do Parlamento e membro do Judaísmo Unido da Torá, partido do rabino da congregação atacada, Uri Maklef, afirmou que é preciso pensar em outras formas de restringir os atos terroristas, já que os pedidos de calma não foram atendidos. Segundo Maklef, o governo e as forças de segurança precisam de “uma nova forma de pensar”.

Fontes:
O Globo-Netanyahu responsabiliza Abbas e Hamas por ataque a sinagoga em Jerusalém

1 Opinião

  1. Salim disse:

    A incitaçao ao odio e ao Jihad pelos politicos, e sacerdotes musulmanos nas mesquitas, sao a origem destes atos de insanidade e fundamentalismo Islamico. “Locais de oração de todas as fés devem ser considerados santuários indutores da Paz e não alvos legítimos para carnificinas como a de hoje. Esperamos das autoridades brasileiras e dos representantes de todas as religiões que repudiem mais este ato de terror, que atinge não apenas os israelenses ou os judeus, mas todas as pessoas de bem.”

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *