Início » Internacional » É assinado o Tratado de Não-Proliferação Nuclear
NESTA DATA

É assinado o Tratado de Não-Proliferação Nuclear

Em 1º de junho de 1968, é assinado o tratado que proíbe a proliferação de armas nucleares no mundo

É assinado o Tratado de Não-Proliferação Nuclear
O TNP só permite a tecnologia nuclear para fins pacíficos (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em 1º de junho de 1968, o Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) foi assinado pelas principais potências nucleares e não-nucleares da época, a partir do discurso de impedir a expansão de armas nucleares no mundo. O tratado foi assinado Estados Unidos, União Soviética, Reino Unido, França e China, que já haviam explodido bombas atômicas, além de outras nações que não dispunham desse armamento, e entrou em vigor apenas em 1970.

Anteriormente, os Estados Unidos e a União Soviética assinaram o Tratado de Interdição Parcial de Testes Nucleares, em 1963. O acordo visava frear a corrida armamentista durante o período de Guerra Fria.

O TNP estabeleceu que somente cinco os países que detonaram bombas nucleares antes de 1967 poderiam ter esse tipo de arma. No entanto, esses países foram proibidos de distribuir armas e tecnologia para fabricá-las em países que não haviam detonado bombas atômicas. Além disso, o TNP exigiu que todas as nações signatárias reduzissem seu arsenal nuclear, o que nunca foi posto em prática.

Fica permitido para as nações que não desenvolveram esse armamento apenas o desenvolvimento da tecnologia nuclear para fins pacíficos, como por exemplo, na produção de energia elétrica. Entretanto, esses países passam pela inspeção da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Curiosamente, os países que autorizados a ter armamento nuclear são os cinco países do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) com poder de voto. Após a queda da União Soviética, a Federação Russa assumiu o posto vago. Atualmente, 189 países seguem o TNP, com exceção de Israel, Paquistão, Índia e Coreia do Norte (que assinou o tratado, mas se retirou em 2003). Esses últimos quatro possuem armas nucleares.

Fontes:
Office of the Historian-The Nuclear Non-Proliferation Treaty (NPT),1968
Brasil Escola-Tratado de Não-Proliferação Nuclear

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *