Início » Internacional » Egito pode liderar ofensiva terrestre contra o Iêmen
Guerra no Oriente

Egito pode liderar ofensiva terrestre contra o Iêmen

Ministro de relações exteriores egípcio afirmou que irá ajudar a coalizão e enviará tropas terrestres 'se necessário'

A possibilidade de uma ofensiva terrestre contra o Iêmen cresce significativamente com a declaração do Egito sobre estar se preparando para enviar tropas ao país, “caso seja necessário”, em meio ao ataque aéreo da coalizão liderada pela Arábia Saudita.

Leia mais: Arábia Saudita lança operação militar no Iêmen contra rebeldes
Leia mais: Onde está o presidente do Iêmen?
Leia mais: ONU diz que Iêmen está ‘à beira de uma guerra civil’

Militares árabes ainda esperam que a campanha aérea, lançada na última quarta-feira, 25, e apoiada pelos Estados Unidos, os países do Golfo Pérsico, o Egito e a Turquia, enfraqueça a força rebelde Houthi, apoiada pelo Irã, que está tentando depor o presidente iemenita Abd-Rabbu Mansour Hadi, e torne desnecessária a invasão por terra.

Porém o líder rebelde, Abdulmalik al-Houthi, declarou que o Iêmen será o “Cemitério dos invasores”, caso a coalizão lance uma ofensiva terrestre e pediu um fim ao que chamou de agressão ilegal e não justificada.

Ofensiva piora relação entre países

A campanha, chamada “Operação Tempestade Decisiva”, ameaça acirrar ainda mais os ânimos entre o Irã e seus vizinhos árabes, que estão incomodados com a crescente influência da República Islâmica em territórios do Iêmen, Iraque, Síria e Líbano.

“O Egito declarou o seu apoio político e militar, bem como a sua participação na coalizão com uma força egípcia aérea, naval e terrestre, se necessário, à luz da responsabilidade histórica e inabalável do país para a segurança nacional árabe e do Golfo”, afirmou o ministro de relações exteriores do país, Sameh Shoukry, após um encontro com o representante da Arábia.

Três oficiais de segurança do Egito disseram à Associated Press que a Arábia Saudita e o Egito conduziriam uma operação terrestre no Iêmen após o ataque aéreo para enfraquecer os insurgentes, afirmando que as forças poderiam entrar por terra através da Arábia Saudita e por mar pelo Mar Vermelho ou pelo Mar Árabico. Afirmaram também que outras nações estariam envolvidas.

Irã exige fim dos ataques

O presidente russo, Valdimir Putin, pediu pelo “fim imediato de atividades militares” no Iêmen em uma conversa telefônica com o líder iraniano, Hassan Rouhani, afirmou o Kremlin na última quinta-feira, 26. O Irã, que se alinhou com os rebeldes Houthi, se opôs aos ataques aéreos e pediu a suspensão imediata.

“Exigimos o fim imediato das operações militares sauditas no Iêmen e acreditamos que eles são uma violação à soberania do país. Essas operações só vão levar ao derramamento de sangue e não pouparemos esforços para conter a crise”, disse o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, de acordo com a agência de notícias semi-oficial Isna.

Fontes:
The Guardian-Yemen conflict poised to escalate as Egypt says it is ready to send troops

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *