Início » Internacional » Eleições da Bolívia caminham para o 2º turno
COM 84% DAS URNAS APURADAS

Eleições da Bolívia caminham para o 2º turno

Evo Morales tem 45% dos votos, contra 38% de Carlos Mesa. Observadores internacionais criticam suspensão da transmissão da apuração dos votos

Eleições da Bolívia caminham para o 2º turno
Regiões remotas e rurais terão papel decisivo no pleito (Foto: Twitter/Alexandre Andreatta)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Bolívia pode ter um segundo turno presidencial pela primeira vez na história do país. Com 84% das urnas apuradas, as eleições presidenciais votadas no último domingo, 20, colocam o atual presidente e candidato à reeleição, Evo Morales, com 45,28%, contra 38,16% de seu opositor, Carlos Mesa.

Segundo noticiou a AFP, na noite de domingo, ambos os candidatos se pronunciaram sobre o pleito. Mesa celebrou a ida para o segundo turno, algo que ele deu como garantido, embora analistas políticos tenham cautela em declarar empate com o percentual de urnas apurado.

“Realizamos um triunfo inquestionável que nos permite dizer com absoluta certeza e segurança, tanto pela informação da mídia quanto pelo nosso próprio cálculo interno: estamos no segundo turno”, disse o opositor.

Já Morales fez um discurso na sede do governo, no qual declarou vitória e expressou confiança nos votos em áreas remotas do país, que ainda estão sendo contabilizados. “O povo boliviano se impôs para continuar com o processo de mudança”, disse Morales.

Para que vença em primeiro turno, ele precisa de no mínimo 40% dos votos, com uma vantagem de 10 pontos percentuais sobre Mesa. No momento, os votos em regiões rurais e remotas do país, a serem contabilizados, têm o poder de decidir o pleito.

No entanto, a transmissão da apuração das urnas foi interrompida na noite de domingo, o que despertou suspeita e levou a Organização dos Estados Americanos (OEA) a cobrar uma explicação do Tribunal Superior Eleitoral da Bolívia. Pelo Twitter, a missão de observadores internacionais que supervisiona o pleito pediu que a transmissão do processo de contagem de votos seja retomada.

“A Missão de Observação Eleitoral da OEA continua monitorando rigorosamente o processo eleitoral na #Bolivia. Fundamental que o TSE explique por que a transmissão de resultados preliminares foi interrompida e que o processo de publicação dos dados da contagem seja retomado sem problemas”, informou a OEA.

As eleições deste ano estão sendo consideradas as mais disputadas da história da Bolívia e ocorrem em meio a um cenário de profunda polarização.

Morales está no poder há quase 14 anos. Ele chegou ao poder em 2006, eleito presidente com 54% dos votos. Em 2016, ele abriu uma consulta pública sobre a reeleição por prazo indefinido. Derrotado no referendo, ele ganhou o direito de disputar a reeleição de modo indefinido no ano seguinte, quando o Tribunal Constitucional do país aprovou a medida, sob a justificativa de que a reeleição é um direito humano.

A vitória do presidente na questão, no entanto, teve repercussão negativa em parte da população e foi criticada pela oposição, que afirma que o governo Morales caminha para a autocracia.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *