Início » Internacional » Em 1999, o povo do Timor-Leste decide, em referendo, pela independência
Nesta Data

Em 1999, o povo do Timor-Leste decide, em referendo, pela independência

No dia 30 de agosto, com 90% de participação popular, os timorenses dizem ‘não’ à proposta de autonomia oferecida pela Indonésia

Em 1999, o povo do Timor-Leste decide, em referendo, pela independência
Com 78,5% de votos, o povo timorense rejeitou a autonomia proposta pela Indonésia, escolhendo a independência formal (Foto: Flickr)

Em 1998, com a queda de Suharto, após o fim do “milagre económico indonésio”, B.J.Habibie assumiu a presidência do Timor-Leste, e foi organizado no país um referendo onde a população votaria “sim” se quisesse a integração na Indonésia com autonomia, e “não” se preferisse a independência. O referendo foi realizado em 30 de agosto de 1999 e, com 78,5% de votos, o povo timorense rejeitou a autonomia proposta pela Indonésia, escolhendo, assim, a independência formal. A taxa de participação no referendo foi de 90% da população.

Apesar disso, milícias pró-Indonésia continuaram a atuar no território. As imagens despertaram protestos em vários países do mundo junto às embaixadas da Indonésia, norte-americanas e britânicas, e também junto às Nações Unidas, e foi exigida a rápida intervenção para cessar os assassinatos.

Em 2014, os timorenses comemoraram o 15º aniversário do referendo. Durante a cerimônia, o presidente do Timor-Leste, Taur Matan Ruak, afirmou que o ato libertou a população, mas que ainda é preciso derrotar a pobreza.

“Foi a realização, a 30 de agosto de 1999, desse direito democrático a expressar a vontade dos timorenses que, de fato, ganhou a luta de libertação. Foi a democracia que nos libertou”, afirmou, na capital Díli. Para Taur Matan Ruak, o país está “apenas no princípio”, porque ainda não derrotou a pobreza no país. “Timor-Leste continua a precisar do nosso trabalho e dedicação, para atingir o desenvolvimento social, econômico, científico e cultural que queremos oferecer às gerações dos nossos filhos e dos nossos netos”, sublinhou o presidente timorense.

Fontes:
Governo do Timor-Leste - Hitória

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *