Início » Internacional » Em 25 anos, 200 milhões de pessoas deixaram de passar fome, diz ONU
Relatório Anual

Em 25 anos, 200 milhões de pessoas deixaram de passar fome, diz ONU

De acordo com o relatório anual sobre a fome no mundo, 795 milhões de pessoas passam fome atualmente, ou uma em cada nove

Em 25 anos, 200 milhões de pessoas deixaram de passar fome, diz ONU
Apesar dos avanços, 24 países africanos enfrentam crises alimentares atualmente (Foto: Wikipédia)

O número de pessoas que passam fome no mundo diminuiu de cerca de um bilhão para 795 milhões nos últimos 25 anos. O número atual representa cerca de uma pessoa em cada nove, de acordo com dados da última edição do relatório anual sobre a fome, divulgado nesta quarta-feira, 27, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Em regiões em desenvolvimento, o número de pessoas com fome caiu de 991 milhões há 25 anos para 780 milhões atualmente, ou 12,9% da população. Apesar da constatação de que quase 800 milhões de pessoas no mundo continuam com fome, o relatório descreve os progressos realizados como uma conquista significativa.

De acordo com o relatório, 72 dos 129 países monitorados pela FAO alcançaram os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) de reduzir pela metade a porcentagem de pessoas com fome em suas populações, enquanto as regiões em desenvolvimento erraram o alvo por apenas uma pequena margem. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio são um conjunto de oito metas internacionais, incluindo a erradicação da fome, estabelecidos pelas Nações Unidas em 2000.

“Esse resultado de quase ter alcançado as metas sobre a fome dos ODM nos mostra que podemos realmente eliminar o flagelo da fome do curso de nossas vidas. Vamos ser a geração do Fome Zero. Esse objetivo deve fazer parte das intervenções políticas e estar no centro da nova agenda de desenvolvimento sustentável que será estabelecido esse ano”, afirmou o Diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva.

O relatório atribuiu a redução da fome, em parte, às condições políticas estáveis e ao crescimento econômico em muitos dos países em desenvolvimento. O progresso foi mais pronunciado no Leste da Ásia, Sudeste e na Ásia Central, América Latina e no Caribe.

Mas o relatório também revela fracassos, especialmente em partes da África, onde, em algumas regiões, mais do que uma em cada três pessoas continuam com fome.Vinte e quatro países africanos enfrentam crises alimentares atualmente, segundo o relatório, o dobro do número em 1990.

Nessas regiões, “eventos climáticos extremos, desastres naturais, instabilidade política e conflitos civis têm impedido o progresso”, diz o relatório. Além disso, as taxas de fome em países que enfrentam crises prolongadas são mais de três vezes maiores do que em outros lugares. Em 2012, segundo o relatório, 366 milhões de pessoas estavam vivendo sob tais condições, e 129 milhões delas passavam fome.

Fontes:
The New York Times - U.N. Reports About 200 Million Fewer Hungry People Than in 1990

1 Opinião

  1. Roberto1776 disse:

    O fato assustador é que a população mundial aumentou de abusivos 5.300.000.000 de habitantes para 7.300.000.000 desde 1990.
    Em outras palavras, sem o aumento descontrolado da população mundial (leia-se terceiro e quarto-mundista) não teríamos uma única pessoa passando fome atualmente.
    Repito: nenhuma pessoa passando fome hoje, porque quem produziu este excesso foi justamente aqueles que não tem condições de criar nem um único filho.
    O Brasil, com toda esta maravilhosa infra estrutura social da qual dispomos já recebeu 32.000 haitianos e senegaleses nos últimos cinco anos, como se precisássemos de imigrantes desqualificados. Mas isso já é outra história mal explicada da dona Passadilma.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *