Início » Internacional » Empresas dos EUA pressionam a Associação Nacional do Rifle
CONTROLE DE ARMAS

Empresas dos EUA pressionam a Associação Nacional do Rifle

Algumas das principais empresas dos EUA estão cancelando contratos descontos que beneficiavam membros da Associação Nacional do Rifle

Empresas dos EUA pressionam a Associação Nacional do Rifle
Protestos contra as armas acontecem em todo o país (Foto: Fibonacci Blue/Flickr)

Apesar de toda a controvérsia que a Associação Nacional do Rifle (NRA), o lobby das armas nos Estados Unidos, provoca, os americanos das mais diversas tendências políticas a acham quase inatacável. A NRA e seus 5 milhões de membros são clientes valorizados por grandes empresas dos EUA. Mas depois do último tiroteio na escola Marjory Stoneman Douglas, na Flórida, em 14 de fevereiro, a opinião pública começou a mudar, não só na discussão política, como também no meio empresarial.

A reação das grandes empresas começou uma semana após o tiroteio. Em 22 de fevereiro, o First National Bank de Omaha disse que por causa da “reação dos clientes” não iria renovar a parceria com a NRA para oferecer cartões de crédito com a marca da associação. Ativistas e alunos da escola Marjory Stoneman Douglas iniciaram a campanha #BoycottNRA no Twitter. Poucos dias depois, diversas empresas encerraram seus programas de descontos para membros da NRA, entre elas as companhias aéreas Delta e United; a companhia de seguros MetLife; a empresa de software Symantec; e as três maiores locadoras de automóveis do país, Avis Budget Group, Hertz e Enterprise Holdings.

A NRA Carry Guard, uma apólice de seguro destinada a cobrir os custos judiciais de membros da NRA em casos de tiroteios, apelidada de “seguro de homicídio” pelos críticos, foi cancelada pela seguradora Chubb. Em 28 de fevereiro, a cadeia varejista Dick’s Sporting Goods anunciou a interrupção das vendas de fuzis semiautomáticos e o aumento da idade mínima para a compra de armas de 18 para 21 anos, com a justificativa que “pensamentos e orações não são suficientes para conter a violência armada”. No mesmo dia, a Walmart também comunicou que não mais venderia armas de fogo para menores de 21 anos.

Uma briga contra essas empresas já começou a ser organizada. Os conservadores e os defensores do direito de porte de armas juraram boicotá-las. Os parlamentares republicanos do estado da Geórgia disseram que não aprovariam o corte de impostos para os combustíveis de aviões, que beneficiaria a Delta, se a companhia aérea não renovasse o programa de descontos para os membros da NRA.

As empresas que optaram por uma posição neutra também estão sendo pressionadas pelos ativistas. Apesar da declaração que “se opunha ao direito de posse de fuzis semiautomáticos por civis”, a FedEx foi duramente criticada por manter os descontos nas remessas de encomendas dos membros da NRA. A Amazon e a Apple também enfrentaram críticas por continuar a oferecer aos seus usuários a programação da NRA TV.

Os deputados democráticos em Nova Jersey querem apresentar um projeto de lei para impedir que os fundos de pensão do estado invistam nos fabricantes de armas. BlackRock e State Street, dois dos principais gestores de ativos do mundo, disseram que iriam conversar com os clientes produtores de armas a respeito de suas carteiras de investimentos.

A reação de empresas importantes dos EUA pode influenciar a discussão sobre o controle de armas? Ao acusar as empresas de fazer “uma exibição vergonhosa de covardia política e cívica”, a NRA afirmou que essas companhias, ao longo do tempo, seriam substituídas por outras que se orgulhariam de ter entre seus clientes membros da NRA. Mas com a opinião pública dominada pelas grandes corporações será difícil que a NRA retome seu poder de pressão sobre políticos, órgãos públicos e a iniciativa privada.

Fontes:
The Economist-American companies snub the National Rifle Association

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Carlos Valoir Simões disse:

    As pessoas comuns (a maioria de nós) tem o mesmo nível raso de entendimento das coisas em qualquer lugar do mundo: culpam as armas pelos assassinatos mas ninguém pensa que as armas não são o motivo nem a consequência, apenas um dos inúmeros meios disponíveis.

  2. E. Coelho disse:

    Antes de tomar uma medida destas eles precisariam demostrar quais foram os associados da NRA que cometeram crimes. É fácil tentar manchar toda uma comunidade – que cumpre a lei.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *