Início » Internacional » Escócia vota hoje se continua ou não a fazer parte do Reino Unido
Plebiscito

Escócia vota hoje se continua ou não a fazer parte do Reino Unido

O pleito ocorre em 2.608 postos, entre 6h e 21h (no horário de Brasília, das 2h às 17h), e a apuração ocorrerá assim que encerrar o período de votação

Escócia vota hoje se continua ou não a fazer parte do Reino Unido
Escócia vota hoje se quer ser país independente ou permanecer no Reino Unido (Reprodução/ Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Escócia vota nesta quinta-feira, 18, a permanência ou não no Reino Unido. Quatro milhões e duzentos mil eleitores votarão se o país deve se tornar independente, depois de mais de três séculos de união. A opinião da população está dividida, o que impossibilita prever o resultado, apesar de na maioria das pesquisas o “não” aparecer com uma pequena vantagem.

O pleito ocorre em 2.608 postos, entre 6h e 21h (no horário de Brasília, das 2h às 17h), e a apuração ocorrerá assim que encerrar o período de votação. A contagem dos votos será feita por região e contará com o trabalho de 32 autoridades locais. As apurações serão centralizadas no Escritório Eleitoral e o resultado deve ser conhecido na sexta-feira, 19.

A pergunta a ser respondida pelos eleitores é “A Escócia deve ser um país independente?” e as opções de resposta: sim ou não. Os cidadãos que tem direito a participar são britânicos da União Europeia ou da Comunidade Britânica, que tenham mais de 16 anos, vivam na Escócia e tenham se registrado. Os que moram em outros países não poderão votar, com exceção de membros das Forças Armadas em missão no exterior.

Caso a Escócia se separe, o país terá até março de 2016 para fazer a transição política e econômica. Até aquele mês, os escoceses teriam que votar em um novo parlamento. No período, seriam discutidos entre o país independente e o Reino Unido: a dívida externa, o sistema educacional e as moedas.

Se o “sim” vencer

O país deseja manter uma monarquia constitucional, com permanência da soberania da rainha Elizabeth II e continuar contribuindo financeiramente com as despesas da família real, assim como deseja fazer parte da Comunidade Britânica, que é formada também por ex-colônias britânicas, como Austrália e Canadá.

Sobre o dinheiro, algumas opções são cogitadas: manter a libra esterlina, o que não agrada a Reino Unido e só será possível se autorizado; usar o euro ou emitir uma nova moeda, considerado inviável por alguns economistas pelo alto custo. O país pretende criar uma Constituição própria em que sejam proibidas armas nucleares.

A proposta de independência foi retomada em 2011, quando o Partido Nacional Escocês conquistou a maioria das cadeiras no parlamento. O Reino Unido permitiu que os escoceses apresentassem um projeto para a votação, o que foi aprovado em dezembro do ano passado.

Se o “não” vencer

O governo britânico prometeu aumentar a independência escocesa, caso o “não” vença. O ministro das finanças da Grã-Bretanha, George Osborne, prometeu elevar a autonomia da Escócia em impostos, custos e benefícios sociais. Já o primeiro-ministro David Cameron prometeu fortalecer o parlamento escocês atribuindo lhe um caráter mais local e autônomo para tomar decisões.

Fontes:
G1 - Escócia vota nesta quinta se deixa de pertencer ao Reino Unido; entenda

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *