Início » Internacional » Escrever à mão desenvolve mais o cérebro infantil do que digitar
Estudo

Escrever à mão desenvolve mais o cérebro infantil do que digitar

Estudo feito nos EUA sugere que o cérebro de crianças em fase de alfabetização se desenvolve melhor com o uso de papel e caneta em vez de telas e teclados

Escrever à mão desenvolve mais o cérebro infantil do que digitar
Atividade no cérebro das crianças é maior quando elas aprendem a escrevem à mão (Reprodução/AFP)

Um estudo feito na Universidade de Bloomington, EUA, sugere que o uso de telas e teclados para escrever, em vez de caneta e papel, pode prejudicar o desenvolvimento das crianças.

Na pesquisa, a neurocientista cognitiva Karin James analisou o comportamento do cérebro infantil pouco antes da fase de alfabetização. Ela reuniu crianças que, embora ainda não alfabetizadas, sabiam identificar as letras, mas não conseguiam juntá-las para formar palavras.

As crianças foram divididas em dois grupos, um foi treinado para copiar letras à mão, enquanto o outro usou computadores. Os pesquisadores analisaram o cérebro das crianças de ambos os grupos antes e depois do treinamento, medindo a quantidade de oxigênio consumido pelo cérebro para analisar a atividade do órgão.

Os resultados mostraram que a atividade no cérebro das crianças é maior quando elas aprendem a escrever à mão do que quando digitam. O cérebro das crianças do grupo que usou caneta e papel mostrou um padrão de atividade parecido com o de pessoas que sabem ler e escrever. O mesmo não ocorreu com o cérebro das crianças que usaram teclado.

“Os dados do exame do cérebro sugerem que escrever prepara um sistema que facilita a leitura quando as crianças começam a passar por este processo”, disse Karin. A neurocientista afirmou ainda que aprender a escrever à mão ajuda a desenvolver outras habilidades motoras necessárias para outras áreas.

Fontes:
BBC-Falta de escrever à mão 'pode prejudicar desenvolvimento cerebral das crianças'

1 Opinião

  1. Roberto Henry Ebelt disse:

    Em 1966, o meu mestre de didática de língua estrangeira, MOACYR AKUY, um dos fundadores do YÁZIGI original (nada a ver com o de hoje) já insistia que o HOMEWORK não deveria jamais ser datilografado, pois, ao digitar, o aluno simplesmente digita letras (que existem em português também) e não as junta para fazer palavras inglesas no cérebro.
    Fico feliz que quase 50 anos depois verifica-se cientificamente que o velho mestre estava absolutamente certo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *