Início » Vida » Educação » Esforços para combater evasão escolar falharam, diz Unesco
RELATÓRIO

Esforços para combater evasão escolar falharam, diz Unesco

Segundo relatório da Unesco, o número de jovens fora das salas de aula se mantém consistente, sobretudo na África Subsaariana

Esforços para combater evasão escolar falharam, diz Unesco
Para a entidade os números são reflexos graves da pobreza no mundo (Foto: Unesco)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um novo relatório divulgado nesta semana pela Unesco aponta que seus recentes esforços para aumentar o número de crianças na escola tem sido insuficientes. De acordo com o relatório, o índice de evasão escolar no mundo ainda é bastante consistente e os números devem se manter altos por gerações.

Segundo a Unesco, cerca de 264 milhões de crianças e adolescentes do mundo estavam fora das salas de aula em 2015 e os números se mantém praticamente inalterados desde 2012. Além disso, o relatório aponta que 9% de todas as crianças no mundo em idade de frequentar o ensino primário não têm acesso a uma escola. Os valores são ainda maiores para o ensino fundamental e médio – 16% e 37%, respectivamente.

Para a entidade os números são reflexos graves da pobreza no mundo. A Unesco estima que a pobreza global poderia ser reduzida pela metade se todos os jovens completassem pelo menos o ensino secundário.

A região apontada com os piores índices de evasão escolar é a África Subsaariana. Segundo o relatório, mais da metade dos jovens de 15 a 17 anos na região estão fora da escola, assim como um terço dos adolescentes entre 12 e 14 anos e um quinto das crianças entre 6 e 11 anos.

Das 61 milhões de crianças no mundo em idade de frequentar escola primária e que não estão na escola, 17 milhões (28%) jamais entrará em uma sala de aula, caso os números se mantenham daqui a uns anos, indica o relatório.

Para a analista de políticas do Relatório de Monitoramento da Educação Global da Unesco, Anna Cristina D’Addio, a falta de progresso nos últimos anos se deve a uma série de fatores complexos. “Em alguns casos, não temos certeza exatamente do que está acontecendo. Por exemplo, estamos sem dados recentes da Nigéria e não temos nenhum dado da República Democrática do Congo”, disse a analista, que também citou a crise de refugiados.

O relatório foi lançado pouco tempo antes do fórum político de alto escalão das Nações Unidas, que será realizado entre os dias 10 e 19 de julho. Nele, serão discutidas alternativas para erradicar a pobreza mundial até 2030.

Fontes:
The Guardian-Drive to get children back to school failing worldwide

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. olbe disse:

    É preciso ver com urgência o filme documentário NUNCA ME SONHARAM,um filme obrigatório que todos interessados em Educação deve assistir.(está em todo brasil esta semana)

  2. laercio disse:

    O Brasil tem que iniciar urgente um controle natalidade para familias proporcional as suas condições de vida!

    Você venderia um carro zero quilômetro para um desocupado?

    Pois então, como podemos admitir que um casal tenha 5 filhos se não tem condições de mante-los? Isto é uma questão bem óbvia mas encontrará resistência nos apatridas da nação. Em função disso, o Brasil deve criar com urgência um sistema de voto eletrônico sobre assuntos exposto pela população. Os assuntos mais citados devem ser votados… Eletronicamente.

    Ou tomamos coragem para fazer as mudanças ou seremos uma nação que fará o povo sofrer bem mais do que hoje

  3. Lucinda Telles disse:

    Só existe uma maneira eficaz de erradicar a pobreza até 2030. É eliminando sem piedade e sem remorso a…palavra do nosso vocabulário.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *