Início » Internacional » Espanha cancela permissão de reabastecimento de navios russos
POLÊMICA INTERNACIONAL

Espanha cancela permissão de reabastecimento de navios russos

O país acusa a Rússia de praticar crimes de guerra na Síria. Logo, seria hipocrisia ajudar os navios a chegarem ao seu destino

Espanha cancela permissão de reabastecimento de navios russos
Admiral Kuznetsov, porta-aviões russo (Foto: Twitter/@Bastion2008)

O governo da Espanha cancelou a permissão de reabastecimento de uma frota de navios russa, liderada pelo porta-aviões Almirante Kuznetsov, em Ceuta, território ultramarino espanhol localizado no Estreito de Gibraltar, que dá acesso ao Mar Mediterrâneo, de onde os russos planejam promover ataques contra a Síria.

Leia mais: Mais de 9 mil pessoas morreram em um ano de ataques russos na Síria

O plano de reabastecimento em território espanhol foi recebido com críticas pelo secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, e pelos parlamentares europeus. A Espanha acusa a Rússia de praticar crimes de guerra na Síria. Logo, seria hipocrisia do país ajudar os navios russos a chegarem ao seu destino. O eurodeputado belga Guy Verhofstadt chegou a postar no Twitter “Espanha assina declaração da União Europeia sobre crimes russos de guerra em #Alepo na semana passada; hoje ajuda a reabastecer a frota a caminho de cometer mais atrocidades. Sério?”.

Apesar de Ceuta ser parte da União Europeia, o status na Otan é incerto. Desde 2011, pelo menos 60 navios russos ancoraram lá. Mas a Espanha insiste que a assistência dada aos navios russos sempre foi comercial e transparente.

Na última terça-feira, 25, o Ministério de Relações Exteriores da Espanha disse que a permissão para essas paradas seria fornecida dependendo do caso, ou seja, dependendo da natureza do navio envolvido e da possibilidade de riscos.

Fontes:
El País-Spain cancels permission for Russian warship refueling in Ceuta
The Guardian-Spain reviews plan to let ​Russian warships refuel en route to Syria
Expresso-Espanha criticada por autorizar Rússia a reabastecer navios de guerra em Ceuta

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *