Início » Internacional » Espanha convoca embaixador venezuelano após ‘declarações intoleráveis’ de Maduro
Incidente diplomático

Espanha convoca embaixador venezuelano após ‘declarações intoleráveis’ de Maduro

Em incidente diplomático, Venezuela e Espanha vivem mais uma forte tensão

Espanha convoca embaixador venezuelano após ‘declarações intoleráveis’ de Maduro
O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, foi acusado de covardia e racismo pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro (Reprodução/Wikimedia Commons)

Venezuela e Espanha vivem mais uma forte tensão diplomática. Na terça-feira, 14, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, acusou o governo espanhol de covardia e racismo por suas críticas à repressão e à censura locais, além de atacar seu Parlamento por aprovar uma lei em repúdio a prisões políticas. O embaixador venezuelano foi convocado nesta quarta-feira, 15, para que o Ministério do Exterior espanhol expressasse seu descontentamento com as mais novas “declarações intoleráveis” de Maduro.

Leia mais:  ONU pede a liberdade de presos políticos na Venezuela
Leia mais:  Governo da Venezuela prende prefeito de Caracas

“A Venezuela não se deixará agredir nem por mil Parlamentos. Que eles opinem de suas mães, mas não da Venezuela. Seus abusos acabaram, Rajoy. A Venezuela é para ser respeitada, que saiba a Espanha inteira. Prepararemos um conjunto de respostas ao golpismo do covarde e racista Rajoy, que desvaloriza aqueles ao sul, os asiáticos”, disse o venezuelano em cadeia nacional, em crítica à aprovação de uma lei de repúdio a Caracas por conta das prisões políticas de opositores. “A elite corrupta europeia sempre organiza manobras, jogadas e asquerosidades contra o país.”

O embaixador da Venezuela na Espanha, Mario Isea, foi recebido no Ministério de Relações Exteriores pelo diretor-geral para a América Ibérica, Pablo Gómez-Olea. “As autoridades espanholas sempre terão respeito pela dignidade das pessoas que ocupam cargos no governo da Venezuela. Foi informado ao embaixador que este tipo de declaração e insulto não contribui para um mínimo entendimento entre dois governos que representam dois povos unidos historicamente pelos mesmos laços”, declarou a chancelaria em comunicado.

Desde que a lei de repúdio a prisões, como as dos opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma, foi aprovada com 306 votos a favor e 19 contra, Rajoy e outros líderes, como o ex-presidente de governo Felipe González, têm comprado briga por conta da repressão e da situação dos presos na Venezuela.

Fontes:
O Globo-Espanha convoca embaixador venezuelano após Maduro chamar Rajoy de racista e covarde

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *