Início » Internacional » Estado Islâmico propõe troca de prisioneiros
Refém japonês

Estado Islâmico propõe troca de prisioneiros

Depois de o Japão negar pedido de resgate, Estado Islâmico pede a libertação de mulher presa na Jordânia em troca de refém japonês

Estado Islâmico propõe troca de prisioneiros
Foto mostra a iraquiana Sajida al-Rishawi, presa após atentado suicida fracassado (Reprodução/Site)

Militantes do Estado Islâmico (EI) agora estão buscando uma troca de prisioneiros após a divulgação de um vídeo mostrando o corpo degolado de um dos dois reféns japoneses detidos pelo grupo. No aúdio do vídeo, um homem que dizia ser o refém Kenji Goto, um correspondente de guerra, pede, em inglês, por sua vida e pela libertação de Sajida al-Rishawi, uma mulher-bomba cujos explosivos não detonaram durante ataques sincronizados em três hoteis em Amã, capital da Jordânia, em 2005.

Leia também: Estado Islâmico desestabiliza os pacifistas do Japão

Importância de Sajida al-Rishawi para o EI

A iraquiana Rishawi está no corredor da morte em uma prisão na Jordânia por sua participação nos ataques em hotéis, que mataram pelo menos 60 pessoas e deixaram centenas de feridos. O maior número de vítimas foi registrado quando outro homem-bomba, o marido de Rishawi, acionou seus explosivos durante uma festa de casamento em um dos três hotéis. A maioria das vítimas era jordaniana.

“Para o Estado Islâmico, Sajida al-Rishawi é um símbolo de uma lutadora modelo”, explicou Rohan Gunaratna, pesquisador-chefe do Centro Internacional para Estudo da Violência Política e Terrorismo da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura. “Tanto o marido como o irmão sacrificaram suas vidas e ela também estava disposta a sacrificar a dela.”

Rishawi é a irmã do homem considerado o braço direito do ex-líder da Al Qaeda no Iraque, Abu Musab Al-Zarqawi. O atual líder do Estado Islâmico, Bakr al-Baghdadi, também serviu sob o comando de Zarqawi no grupo que daria lugar ao Estado Islâmico.

“Al-Rishawi também tem importância para o Estado Islâmico por causa de seus estreitos laços com Abu Musab al-Zarqawi, um jordaniano que liderou o braço da Al Qaeda no Iraque, o núcleo do Estado islâmico”, disse Fayez Dweiri, um general aposentado do exército jordaniano e analista militar. Al-Zarqawi, um colaborador próximo de Osama bin Laden, foi morto em um ataque aéreo dos EUA em 2006.

Para o professor de direito internacional Karima Bennoune, autor de um livro sobre o fundamentalismo islâmico, é provável que o EI tenha mudado seu pedido de resgate para fins de propaganda, para se associar à Al Qaeda no Iraque e se posicionar — falsamente — como um defensor das mulheres muçulmanas. Para Bennoune, a linguagem usada no vídeo, no qual os jihadistas se referem a Rishawi como “nossa irmã prisioneira”, denota propaganda.

 

Fontes:
Bloomberg-Islamic State Demands Swap After Beheading One Japanese Hostage
Uol-Refém japonês foi decapitado por EI, diz portal que monitora jihadistas
G1-Saiba quem é a iraquiana que o EI quer trocar por refém japonês
Site-Japanese Hostage Haruna Yukawa Beheaded, Second Hostage Stipulates New IS Demand in Video

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *