Início » Internacional » Estados dos EUA processam empresa por crise dos opioides
SAÚDE

Estados dos EUA processam empresa por crise dos opioides

Ao todo, 45 estados já processaram a farmacêutica Purdue Pharma, responsável pela produção do OxyContin

Estados dos EUA processam empresa por crise dos opioides
A empresa já soma mais de 1,5 mil processos, entre cidades e estados (Foto: Chris W./Flickr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Mais cinco estados dos EUA processaram a empresa farmacêutica Purdue Pharma por relação à crise dos opioides. Ao todo, 45 estados já processaram a companhia. A empresa já soma mais de 1,5 mil processos, entre cidades e estados.

Nesta quinta-feira, 16, os estados de Winsconsin, Iowa, Kansas, Maryland e Virginia Ocidental alegaram má conduta da empresa na venda de opiáceos, citando como exemplo o OxyContin, que gera grandes lucros à empresa.

A crise dos opioides atinge os Estados Unidos há alguns anos. Apenas em 2016, os opioides foram responsáveis por 64.070 mortes em todo o país. Além dos estados, diferentes instituições estão deixando de aceitar doações da família Sackler, que controla a Purdue Pharma.

“A morte sem sentido e as vidas arruinadas de incontáveis ​​milhares de pessoas devem parar”, afirmou Patrick Morrisey, procurador-geral da Virginia Ocidental. Segundo a acusação no estado, a Purdue Pharma adotou práticas enganosas e impôs agressivas falsas propagandas de marketing sobre os produtos. A empresa e a família Sacker negam as acusações.

“A epidemia de opioide destruiu vidas e sobrecarregou comunidades em todo o estado e no país. […] Hoje, entramos em ação alegando que eles enganaram o público e os profissionais médicos sobre os benefícios e os perigos do OxyContin e de outros opioides, e que a epidemia de opiáceos é parcialmente atribuível à sua conduta”, afirmou Josh Kaul, procurador-geral de Winsconsin. No estado, os opioides foram responsáveis pela morte de 916 pessoas.

As denúncias apontam para o risco de dependência do OxyContin. O opioide foi lançado em meados dos anos 1990 como um avanço no combate a dor. Segundo os processos, a prescrição de opioides cresceu 425%, entre 1999 e 2015, em Winsconsin.

“A Purdue Pharma é responsável por uma crise de saúde pública que afetou profundamente os pacientes, suas famílias, nossas comunidades e nosso sistema de saúde. […] A empresa e seus executivos foram imprudentemente indiferentes ao impacto de suas ações, apesar da crescente evidência de que seus enganos estavam resultando em uma epidemia de dependência e morte”, destacou o procurador-geral de Iowa, Tom Miller, que também processa a empresa.

Leia também: Da legalidade à ilegalidade: a crise dos opioides

Fontes:
The Washington Post-Five more states sue Purdue Pharma for opioid crisis
The Guardian-Five more US states sue Purdue Pharma over its role in opioid crisis

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *