Início » Internacional » Estátua de Gandhi vai ser retirada de universidade em Gana
POLÊMICA RACIAL

Estátua de Gandhi vai ser retirada de universidade em Gana

Grupo de professores alegou que Gandhi era racista e que a universidade deveria dar prioridade aos heróis e heroínas africanos

Estátua de Gandhi vai ser retirada de universidade em Gana
Uma das muitas estátuas de Gandhi (Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em junho, o campus da Universidade de Gana, em Acra, ganhou uma estátua do líder da independência indiana, Mahatma Gandhi. Após uma petição, organizada por professores da universidade, a escultura será removida por considerarem que Gandhi era racista.

A estátua foi inaugurada pelo presidente indiano Pranab Mukherjee, como um símbolo de aproximação entre os dois países. No entanto, em setembro, um grupo de professores começou uma petição para a remoção da estátua, dizendo que Gandhi era racista e que a universidade deveria dar prioridade aos heróis e heroínas africanos.

A petição incluía citações de escritos de Gandhi, que diziam que os indianos eram “infinitamente superiores” aos negros africanos. Mais de mil pessoas assinaram a petição, que além de dizer que Gandhi era racista quando viveu no país em sua juventude, ele também fez campanha para que as castas indianas continuassem, um sistema social hierárquico que ainda define o status num país de centenas de milhões de pessoas.

O ministro do Exterior de Gana disse que quer realocar a estátua. “Mahatma Gandhi pode ter tido seus defeitos, mas precisamos lembrar que as pessoas evoluem”.

Há vários meses, surgiu em várias universidades africanas um movimento contra a presença de estátuas que façam alusão a um passado colonial. A universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul, por exemplo, realizou uma forte campanha para a retirada de seu campus de uma estátua de Cecil Rhodes, um homem de negócios do ramo da mineração, notoriamente racista, morto em 1902.

Gandhi é considerado um herói no movimento de independência da Índia. Sua visão de protestos não-violentos inspirou rebeldes e revolucionários ao redor do mundo. O pensamento dele influenciou os líderes do Congresso Nacional Africano e outras pessoas que se comprometeram a lutar contra o apartheid. Ele foi assassinado por um fanático hindu em 1948. Suas visões mais conservadores e seu racismo, entretanto, ainda irritam muitos.

Opositores da estátua citaram várias passagens do passado de Gandhi em que ele se referia aos negros sul-africanos como “kaffirs” (uma grande ofensa racial), além de se queixar que o governo sul-africano queria diminuir os indianos ao mesmo nível das pessoas que ele chamava de “nativos meio pagãos”.

Gandhi também é criticado em sua terra-natal. Em 2014, a escritora Arundhati Roy o acusou de perpetuar o discriminatório sistema de castas. Mridula Mukherjee, especialista em história moderna indiana, disse, na época, que a crítica da escritora era descabida. “Gandhi devotou muito de sua vida para lutar contra o preconceito de castas.”

Fontes:
The Guardian-'Racist' Gandhi statue banished from Ghana university campus
The Guardian-Gandhi branded racist as Johannesburg honours freedom fighter
The Guardian-Arundhati Roy accuses Mahatma Gandhi of discrimination
BBC-Was Mahatma Gandhi a racist?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    O inferno comunista conhecido como ZIMBABWE não existiria se não fosse pelo grande Cecil Rhodes. ISSO seria uma vantagem: não ter aquele estrupício comunista do Roberto Mugabe infernizando a vida dos negros da antiga e progressista RODÉSIA de primeiro mundo.

  2. Ludwig Von Drake disse:

    Gandhi tinha o “miolo-mole”, acho que de tanto fazer jejum. Gana já tem suas próprias tranqueiras.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *