Início » Internacional » EUA admitem que espionagem foi ‘longe demais’
Em certos casos

EUA admitem que espionagem foi ‘longe demais’

'Algumas das ações foram longe de mais e vamos certificar-nos de que isso não voltará a acontecer', disse o secretário norte-americano de Estado

EUA admitem que espionagem foi ‘longe demais’
Secretário de Estado dos EUA, John Kerry (Fonte: Reprodução/AFP)

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, admitiu nesta quinta-feira, 31, que os EUA foram “longe de mais” em certos casos de espionagem.

Leia também: EUA ignoram reação de Dilma, mas pedem desculpas a Merkel
Leia também: NSA é acusada de ter espionado o Vaticano

“Em certos casos, admito, como o fez o presidente, algumas das ações foram longe de mais e vamos certificar-nos de que isso não voltará a acontecer”, disse Kerry durante uma conferência em Londres, da qual participou por vídeo.

O secretário norte-americano de Estado justificou a interceptação de comunicações como instrumento de luta antiterrorista e ainda prevenção de eventuais atentados.

Essa foi a primeira vez que uma alto funcionário do governo norte-americano reconheceu de forma tão explícita excessos nas polêmicas práticas de vigilância de comunicações e dados pela Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) dos EUA.

Ainda de acordo com John Kerry, as autoridades norte-americanas evitaram numerosas ações terroristas graças à intercepção de comunicações. “Impedimos que caíssem aviões, que explodissem edifícios e que pessoas fossem assassinadas, porque estávamos em condições de estar ao corrente dessas intenções. Garanto que neste processo não foram afetadas pessoas inocentes”, afirmou.

O secretário de Estado dos EUA disse ainda que Obama “está decidido a tentar esclarecer […] e procede examinar [estas práticas] para que ninguém se sinta enganado”.

Fontes:
Público - Kerry admite que EUA foram "longe de mais" na espionagem

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *