Início » Internacional » EUA ampliam medidas contra discriminação racial
EUA

EUA ampliam medidas contra discriminação racial

Novas regras destinadas a agentes federais não valem para policiais locais

EUA ampliam medidas contra discriminação racial
Protesto por não indiciamento de policial, em Nova Iorque (Reprodução/Kena Betancur)

Segundo a matéria divulgada nesta segunda-feira, 8, pelo jornal O Globo, o governo norte-americano ampliou as regras para agentes federais contra a discriminação. As medidas proíbem esses agentes de traçarem perfis suspeitos com base na origem, na orientação sexual, na religião, no gênero e em outras características.

Essa iniciativa expande as diretrizes estabelecidas no governo Bush, além de incluir a exigência de novos treinamentos e coleta de dados. O ex-presidente Bush proibiu a discriminação racial em 2003, mas não estendeu as normas às investigações em segurança nacional e não abrangeu religião, gênero, origem e orientação sexual. O governo Obama, por sua vez, prevê que as medidas sirvam como um possível espelho para a polícia local. O Departamento de Justiça espera que isso sirva como modelo para os departamentos locais, principalmente neste momento em que o país está marcado por manifestações contra a morte de homens negros desarmados por policiais brancos.

Os defensores dos direitos civis saudaram as novas regras, entretanto, ficaram decepcionados com o fato de elas isentarem funcionários de segurança que fazem inspeções em aeroportos e em postos de fronteira e não valem para as polícias locais e estaduais. As novas orientações abrangem agências federais dentro do Departamento de Justiça, incluindo, por exemplo, o FBI, o órgão de controle de drogas e a agência de álcool, tabaco, armas de fogo e explosivos. Elas também se estendem a  locais e estaduais quando atuarem em forças-tarefas conjuntas ao lado de agentes federais.

Peritos da ONU demonstraram preocupação, na semana passada, com a decisão de dois grandes júris de não indiciarem os policiais que mataram Eric Garner, em Staten Island, e Michael Brown, no Missouri. Eles pediram a revisão das práticas policiais dos Estados Unidos em um momento de forte debate nacional sobre o uso da força pela polícia, a justiça racial e o tratamento das minorias.

Fontes:
O Globo-EUA ampliam regras contra discriminação racial

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *