Início » Internacional » EUA e exército curdo rompem o cerco e facilitam a fuga de civis no Iraque
Tensão no Iraque

EUA e exército curdo rompem o cerco e facilitam a fuga de civis no Iraque

Ajuda humanitária americana continuará a ser enviada ao país. ONU declara nível máximo de emergência na região

EUA e exército curdo rompem o cerco e facilitam a fuga de civis no Iraque
Yazidis abrigados um campo próximo à fronteira entre Turquia e Iraque (Reprodução/AFP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O governo americano informou na última quarta-feira, 13, que o cerco aos refugiados da minoria religiosa yazidis, que  estavam no monte Sinjar, norte do Iraque, foi rompido, após três bombardeios americanos a postos do grupo radical Estado Islâmico na montanha. A ação americana foi feita em conjunto com combatentes curdos armados pelos Estados Unidos.

Leia mais: França fornecerá armas para curdos no Iraque
Leia mais: Sofrimento em Gaza não desperta simpatia de outros países árabes
Leia mais: Irã declara apoio à nomeação de novo primeiro-ministro do Iraque

Com isso, o Pentágono considerou “bem menos provável” uma ação em terra dos EUA para resgatar civis. A posição foi tomada após uma análise estratégica de cerca de 20 militares e analistas americanos que estiveram no Sinjar na madrugada da última quarta-feira.

“A equipe avaliou que havia muito menos yazidis no monte Sinjar que o previsto. Os yazidis que restaram estão em melhores condições do que pensávamos e continuam a ter acesso à água e à comida que enviamos”, informou em nota o Departamento de Defesa dos EUA. Ainda segundo o órgão, a ajuda humanitária continuará a ser enviada.

Conforme a CNN, cerca de 100 mulheres e crianças yazidis teriam sido sequestradas por integrantes do Estado Islâmico na cidade de Sinjar.

Emergência máxima no Iraque

A ONU atribuiu o mais alto nível (3) de emergência para a crise humanitária do Iraque, em razão do violento avanço dos jihadistas do no norte e no oeste do país, ação que forçou milhares de pessoas a abandonarem suas casas na região.

Com 150 mil refugiados, a situação na província de Dohuk é crítica, conforme advertiram autoridades curdas.

Segundo o representante especial da ONU Nickolay Mladenov, o nível máximo de alerta irá acelerar a mobilização de recursos adicionais para garantir uma resposta mais eficaz às necessidades das populações afetadas pelo deslocamento forçado. A organização estima que 1,2 milhões de iraquianos realizaram deslocamentos internos. Síria, Sudão do Sul e República Centro-Africana são outros três países com o mesmo status de emergência.

Fontes:
Folha de S. Paulo-EUA e tropas curdas rompem cerco e facilitam saída de minoria no Iraque
O Globo-ONU declara nível máximo de emergência no Iraque

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *