Início » Internacional » EUA estudam proibir cigarros mentolados
SAÚDE

EUA estudam proibir cigarros mentolados

Medida visa desestimular o tabagismo entre os mais jovens, uma vez que cigarros com sabor têm a preferência do público mais novo

EUA estudam proibir cigarros mentolados
Cerca de 480 mil pessoas morrem por ano nos EUA por problemas relacionados ao fumo (Foto: Wikimedia)

A Food and Drug Administration (FDA) – órgão dos EUA análogo à Anvisa brasileira – vem cogitando proibir a comercialização cigarros mentolados e cigarros eletrônicos com sabor. A medida visa desestimular o tabagismo entre os mais jovens, uma vez que cigarros com sabor têm a preferência do público mais novo que, muitas das vezes, ainda não tem a idade legal para fumar.

Uma pesquisa da FDA mostrou que os cigarros mentolados são mais fáceis para as pessoas começarem a fumar, mas tornam mais difícil uma possível saída. Isso gera um grande impacto na saúde do povo americano, principalmente os afrodescendentes.

Estima-se que cerca de 45 mil afro-americanos morrem anualmente por doenças relacionadas ao fumo, sendo a maior causa de morte evitável. Em um contexto geral, as mortes relacionadas ao fumo atingem aproximadamente 480 mil pessoas por ano nos Estados Unidos.

Na época da pesquisa, os ativistas contrários aos cigarros acharam que a FDA iria agir, mas nada aconteceu. Agora, a expectativa é que o órgão apresente a proibição aos cigarros eletrônicos aromatizados e alguns produtos de tabaco na próxima semana. A proposta, porém, pode levar anos para entrar em vigor.

Em uma entrevista recente, o comissário da FDA, Scott Gottlieb, admitiu que o órgão estava reavaliando a situação dos produtos e admitiu que foi um erro “se afastar do mentol”. O Canadá já impôs proibição a cigarros aromatizados, e a União Europeia deve fazer o mesmo em 2020.

Em junho deste ano, a cidade de São Francisco, na Califórnia, aprovou uma proibição contra a venda de cigarros mentolados e e-cigarros aromatizados. Na próxima semana, a FDA planeja estender isso para todos os Estados Unidos, proibindo a venda de cigarros eletrônicos com sabores em lojas de varejo e postos de gasolina. Os produtos passariam a ser comercializados principalmente online, onde o órgão planeja ser mais rígida com a verificação de idade dos compradores.

Isso porque os e-cigarros se tornaram muito populares nos Estados Unidos, principalmente entre jovens, o que elevou a preocupação de autoridades de saúde e pais. A FDA, então, começou a conversar com os principais fabricantes de cigarros eletrônicos do país, como a Juul Labs, responsável por 77% do mercado americano de e-cigarros.

Antes mesmo de uma ação da FDA, a Juul Labs decidiu retirar várias embalagens populares de e-cigarros das prateleiras das lojas. Os produtos de mentol, hortelã e tabaco continuarão sendo vendidos em algumas lojas, mais produtos que seriam mais atraentes para os mais jovens serão comercializados exclusivamente pela internet.

“Queremos fazer parte da solução para evitar o uso de menores e acreditamos que a indústria e os reguladores trabalharão juntos para restringir o acesso dos jovens” afirmou o CEO da empresa, Kevin Burns, através de um comunicado exposto no site oficial da Juul Labs.

Já a Altria, concorrente da Juul Labs, disse que vai encerrar a produção de alguns e-cigarros aromatizados e vai apoiar o aumento da idade mínima para a compra dos produtos para 21 anos. O senador democrata Chuck Summer concordou com as ações de restrição às compras, vendo o potencial para combater o uso de cigarros pelos mais jovens.

Lisa David, presidente e diretora executiva da Public Health Solutions, uma organização sem fins lucrativos especializada em saúde para famílias de baixa renda, também defendeu uma restrição maior aos sabores de menta, que são os mais atrativos.

A campanha Youth Aginst Menthol, da Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP), afirmou que 85% dos fumantes afro-americanos com mais de 12 anos consomem cigarros mentolados. O índice é de 29% entre os fumantes brancos.

“Há uma evidência científica esmagadora de que os cigarros mentolados tiveram um efeito adverso profundo na saúde pública nos Estados Unidos, resultando em mais mortes e doenças”, afirmaram diferentes grupos de saúde de crianças e adolescentes em um comunicado conjunto.

 

Leia também: O risco de explosão dos cigarros eletrônicos
Leia também: EUA regulamentam cigarros eletrônicos
Leia também: Cigarro eletrônico não ajuda a abandonar o hábito de fumar, diz estudo

Fontes:
The New York Times-F.D.A. Plans to Seek a Ban on Menthol Cigarettes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *