Início » Internacional » EUA facilitaram até inseminação artificial de casal espião para retomar relações com Cuba
Negociações secretas

EUA facilitaram até inseminação artificial de casal espião para retomar relações com Cuba

Episódio é uma das subtramas mais estranhas nos anais de negociações secretas entre Washington e Havana

EUA facilitaram até inseminação artificial de casal espião para retomar relações com Cuba
Adriana Pérez, mulher do espião cubano Gerardo Hernandéz, conseguiu convencer autoridades americanas a ajudá-la a engravidar (Reprodução/AP)

Facilitar a gravidez da Sra. Adriana Pérez, a mulher de Gerardo Herndández, um espião cubano preso na Califórnia há 16 anos, tornou-se uma das subtramas mais estranhas nos anais de negociações secretas entre Washington e Havana. No entanto, o assunto tornou-se uma prioridade urgente para o pequeno grupo de autoridades cubanas e americanas envolvidas na intermediação do degelo histórico entre Cuba e EUA.

Leia também:O silêncio de Fidel

Não foi uma tarefa fácil obter um frasco de esperma congelado do espião, condenado à prisão perpétua nos EUA, e transportá-lo até o Panamá, onde sua esposa, agora com 44 anos e desesperada para ter um bebê, foi inseminada artificialmente.

Corrida contra o relógio biológico

Autoridades cubanas começaram a pressionar o governo americano para ajudar o casal a conceber em 2010. Foi um tiro no escuro. O Departamento Federal de Prisões não permite visitas conjugais, e as autoridades americanas suspeitavam que a Sra. Pérez também era uma espiã cubana.

Mas, sensibilizado com o drama do casal, o senador democrata Patrick Leahy conseguiu convencer as autoridades americanas a ajudá-los por razões humanitárias, mas também para melhorar a perspectiva de um avanço diplomático entre os países. Leahy conseguiu a permissão para autoridades cubanas recolherem uma amostra de esperma de Hernández e a levarem para o Panamá. A primeira tentativa de engravidar a Sra. Pérez falhou. A segunda, cerca de oito meses atrás, funcionou.

Hernández é um dos três espiões cubanos libertados na última quarta-feira como parte de um acordo para a retomada das relações entre Cuba e EUA. O espião voltou para Havana, onde encontrou a sua esposa grávida, dando o que falar na capital. Sem entrar em detalhes, Hernández garantiu a jornalistas que o bebê era dele.

Fontes:
The New York Times - How a Cuban Spy and his Wife Came to Be Expectant Parents

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *