Início » Internacional » EUA pedem ação global contra a Coreia do Norte
ESCALADA DE TENSÃO

EUA pedem ação global contra a Coreia do Norte

Secretário de Estado americano confirma lançamento de míssil intercontinental da Coreia do Norte e diz ser necessária uma resposta global para conter o país

EUA pedem ação global contra a Coreia do Norte
Segundo Tillerson, os EUA jamais aceitarão a Coreia do Norte como potência nuclear (Foto: Flickr/U.S. Department of State)

O Secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, declarou ser necessária uma ação global para conter a ameaça que a Coreia do Norte representa para o mundo.

Os comentários de Tillerson ocorrem em meio à crescente tensão gerada após o primeiro e bem sucedido teste de um míssil balístico intercontinental (ICBM) feito pela Coreia do Norte. Tillerson afirmou que os EUA pretendem impor fortes medidas contra Pyongyang e ressaltou que Washington jamais aceitará a Coreia do Norte como uma potência nuclear.

“É necessária uma ação global para conter uma ameaça global. Qualquer país que hospede trabalhadores norte-coreanos convidados, contribua economicamente ou militarmente ou falhe em implementar por inteiro as resoluções do Conselho de Segurança da ONU está ajudando e sendo cúmplice de um regime perigoso”, disse o Secretário de Estado, afirmando que o assunto será discutido em uma reunião do Conselho de Segurança da ONU marcada para esta quarta-feira, 5.

A declaração pode ser vista como uma “alfinetada” na China, país que hospeda um vasto número de trabalhadores norte-coreanos, é o que mais reluta em aplicar as sanções contra Pyongyang e o principal exportador de recursos naturais e bélicos para a Coreia do Norte. Em parte, tais ações são uma estratégia da China para impedir que as tropas americanas posicionadas na Coreia do Sul se aproximem de suas fronteiras, algo que seria inevitável em caso de reunificação da Península Coreana.

A posição de Tillerson foi corroborada pelo Departamento de Defesa dos EUA. “Seguimos preparados para nos defender, para defender nossos aliados e usar todos os recursos a nossa disposição contra a crescente ameaça da Coreia do Norte”, disse o porta-voz do Pentágono, Dana White.

Nesta quarta-feira, os EUA conduziram um teste conjunto de mísseis com a Coreia do Sul. O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, afirmou que os exercícios conjuntos foram feitos para reafirmar a determinação dos EUA e da Coreia do Sul frente às ações norte-coreanas.

A Coreia do Norte lançou o míssil ICBM na última terça-feira, 4, em plena data que os EUA comemoram sua independência. O lançamento foi veiculado na agência estatal de comunicação do governo norte-coreano, a KCNA. Segundo a agência, Kim Jong-un declarou que “os bastardos americanos não vão ficar muito contentes com o presente enviado pelo aniversário de 4 de Julho”, e acrescentou que “deveria enviar presentes de vez em quando para ajudá-los a sair do tédio”.

Rússia e China anunciam parceria

Poucas horas após o lançamento do míssil, os governos da China e da Rússia tentaram amenizar a tensão entre EUA e Coreia do Norte. Eles divulgaram um comunicado conjunto logo após um encontro entre os presidentes Vladimir Putin e Xi Jinping, no Kremlin.

No comunicado, eles afirmaram que trabalharão juntos em busca de uma solução para o impasse e acusaram os EUA de usar a Coreia do Norte como pretexto para avançar suas posições militares na Ásia, o que, segundo eles, coloca em risco a estabilidade da balança de poder na região.

“A situação na região afeta os interesses nacionais de ambos os países [EUA e Coreia do Norte]. A Rússia e a China trabalharão em estreita parceria para avançar no sentido de uma solução para o complexo problema da Península Coreana”, disse o comunicado.

Fontes:
The Independent-US Secretary of State Rex Tillerson calls for 'global action' to counter 'global threat' from North Korea

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *