Início » Internacional » EUA podem banir mecanismos ‘viciantes’ das redes sociais
PROJETO DE LEI

EUA podem banir mecanismos ‘viciantes’ das redes sociais

Projeto de lei visa banir ferramentas que ‘capturam a atenção usando truques psicológicos’, como rolagem infinita do feed e reprodução automática de vídeo

EUA podem banir mecanismos ‘viciantes’ das redes sociais
Projeto regulamenta ferramentas criadas para estimular comportamentos de dependência (Foto: Pexels)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Reprodução automática de vídeos no YouTube e o feed de notícias infinito do Facebook podem ser banidos nos EUA, sob proposta de nova lei. A Lei de Redução da Dependência de Mídia Social regulamenta técnicas e recursos que, segundo seu autor, o senador republicano Josh Hawley, são criados para estimular e aprofundar comportamentos de dependência.

O projeto de lei visa “práticas que exploram a psicologia humana ou a fisiologia do cérebro para impedir substancialmente a liberdade de escolha” e proíbe especificamente quatro práticas:

  • Rolagem infinita ou recarga automática, como o feed de notícias do Facebook ou uma linha do tempo do Twitter, que carregam automaticamente novos conteúdos quando o usuário se aproxima do final do conteúdo existente, sem exigir nenhuma solicitação específica dos leitores.
  • Reprodução automática, quando um site reproduz automaticamente uma música ou vídeo “sem um aviso expresso e separado por parte do usuário”, como no YouTube e no Facebook. Curiosamente, o projeto de lei exclui explicitamente os anúncios de autoplaying de sua cobertura, apesar da impopularidade geral desse conteúdo. Ele também abre exceções para a reprodução automática de músicas em serviços de streaming e a reprodução automática de uma lista de reprodução pré-criada.
  • Crachás e outros prêmios ligados ao engajamento com a plataforma. Estes são mais notavelmente usados pelo Snapchat na forma de emblemas do Snapstreak, que marcam quanto tempo dois amigos trocaram mensagens diárias. Os pais se queixaram de que a mecânica do Snapstreak leva a um comportamento problemático das crianças, que temem que sua amizade esteja em risco se a série terminar.
  • “Eliminação de pontos de parada naturais”, uma categoria abrangente para qualquer site que carregue mais conteúdo do que um usuário típico rola em três minutos sem que o usuário solicite expressamente conteúdo adicional.

“A Big Tech [sigla usada em referência às maiores empresas de tecnologia dos EUA] adotou o vício como um modelo de negócios. Sua ‘inovação’ não é projetada para criar produtos melhores, mas para capturar a atenção usando truques psicológicos que tornam impossível desviar o olhar. Hora de esperar mais e melhor do Vale do Silício”, disse Hawley em um tweet apresentando a proposta .

O projeto de lei vem no momento em que o parlamento britânico investiga “tecnologias viciantes”, com uma investigação que aborda muitas das mesmas áreas que o projeto de lei de Hawley.

Fontes:
The Guardian-US could ban 'addictive' autoplay videos and infinite scrolling online

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *