Início » Internacional » EUA se retiram do Conselho de Direitos Humanos da ONU
AMEAÇA CUMPRIDA

EUA se retiram do Conselho de Direitos Humanos da ONU

Embaixadora americana na ONU chamou órgão de 'hipócrita'

EUA se retiram do Conselho de Direitos Humanos da ONU
Anúncio foi feito pela embaixadora americana na ONU, Nikki Haley (Fonte: Reprodução/Flickr/ U.S. Mission Photo/Eric Bridiers)

Os EUA anunciaram na noite desta terça-feira (horário de Brasília), 19, a saída do Conselho de Direitos Humanos da ONU, criado em 2006.

De acordo com a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, a saída ocorre após nenhum outro país ter “coragem de se juntar à nossa luta” para reformar o  que chamou de órgão “hipócrita”. Nikki ressaltou, no entanto, “que este passo não é um recuo em relação aos nossos compromissos com os direitos humanos”.

Os EUA, que estavam na metade de um mandato de três anos no órgão, já vinha há algum tempo ameaçando se retirar caso não fosse adotada uma reforma. O país também acusava o órgão de ser “anti-Israel”.

O anúncio da saída do órgão acontece um dia após o alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad al-Hussein, ter feito duras críticas aos EUA por conta de sua política de tolerância zero para imigrantes ilegais. Na última segunda-feira, 18, o alto comissário pediu que Washington interrompa sua política “impiedosa” e chamou de “inadmissível” a atitude do país.

A saída dos EUA do Conselho de Direitos Humanos da ONU é vista como mais uma rejeição americana aos esforços diplomáticos multilaterais. O governo Trump já se desligou do acordo climático de Paris e também do acordo nuclear com o Irã.

Fontes:
G1 - EUA anunciam saída do Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Buckminster disse:

    Cada nação trabalha por seus interesses! O Brasil deveria investir em leis duras para punir exemplarmente os marginais para que pudesse haver maciço investimento na educação porque assim desenvolvemos tecnologia própria e podemos dizer o nosso não as exigências internacionais, que hoje fazem com que o Brasil admita o crescimento criminal no país de vocês…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *