Início » Internacional » EUA tiram Cuba da lista de países que patrocinam o terrorismo
Diplomacia

EUA tiram Cuba da lista de países que patrocinam o terrorismo

A medida livrará Cuba de uma série de sanções financeiras que tem prejudicado suas atividades

EUA tiram Cuba da lista de países que patrocinam o terrorismo
Estratégia americana de isolar Cuba tem sido um fracasso total (Foto: Wikipédia)

Os Estados Unidos deram mais um passo nesta sexta-feira, 29, para fechar as feridas abertas da guerra fria. O governo Obama tirou Cuba da lista de regimes patrocinadores do terrorismo, uma lista que agora inclui apenas Irã, Sudão e Síria.

A intenção de tirar Cuba dessa lista foi anunciada em 14 de abril, depois de uma reunião histórica entre o presidente Barack Obama e seu homólogo cubano, Raúl Castro, na Cidade do Panamá, mas era preciso notificar o Congresso americano por um período de 45 dias.

Embora o Departamento de Estado tenha dito que o governo ainda tem “preocupações e discordâncias significativas com uma ampla gama de políticas e ações de Cuba”, essas preocupações não impediram a retirada de Cuba da lista.

Como resultado, Cuba se livrará de uma série de sanções financeiras que tem prejudicado suas atividades diplomáticas, incluindo o pagamento de salários aos seus embaixadores em Washington. Mas o embargo comercial dos EUA contra Cuba permanece, e as negociações sobre a reabertura das embaixadas avançam lentamente.

Para Obama, as razões para apoiar a reaproximação com Cuba são evidentes. A estratégia americana de isolar Cuba econômica e diplomaticamente tem sido um fracasso total. A manobra não conseguiu derrubar os Castro, mas acabou prejudicando o povo cubano e alimentando o antiamericanismo na América Latina. Aqueles que apoiam o bloqueio comercial hoje são os cubano-americanos da geração dos Castro, que já são uma minoria nos EUA. Pesquisas indicam que a maioria dos cubano-americanos com menos de 65 anos apoia os esforços pra melhorar as relações com Cuba e o fim do embargo.

A reaproximação ajuda o governo Obama a recuperar a influência perdida para o finado Hugo Chávez, que deixou sua economia socialista em crise na Venezuela, incapaz de financiar sua chamada Revolução Bolivariana em outras partes do hemisfério. Não é uma coincidência que as negociações secretas entre Cuba e os Estados Unidos começaram pouco depois da morte de Chávez em 2013. Cuba precisa de um novo benfeitor. Com a queda dos preços do petróleo, as remessas subsidiadas do recurso venezuelano a Cuba caíram. Turistas americanos representam uma fonte promissora de renda para a Ilha.

Em um sinal de crescente otimismo, o número de bandeiras americanas penduradas do lado de fora de lares cubanos aumentou desde dezembro. Há relatos de que alguns casais cubanos deixaram de usar preservativos porque eles agora se sentem confiantes o suficiente para ter filhos.

Fontes:
The New York Times - U.S. removes Cuba from list of state-sponsors of terrorism

1 Opinião

  1. Niza Nogueira disse:

    Muito bonitas lado a lado, as bandeiras dos Estados Unidos e de Porto Rico.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *