Início » Internacional » EUA vão direcionar US$ 40 milhões para oposição venezuelana
APOIO A GUAIDÓ

EUA vão direcionar US$ 40 milhões para oposição venezuelana

Verba, que foi desviada de ajuda humanitária para a América Central, será usada para pagar salários de opositores, viagens, propaganda e assistência técnica

EUA vão direcionar US$ 40 milhões para oposição venezuelana
Medida consta em documento enviado ao Congresso (Foto: Twitter/Juan Guaidó)

O governo dos Estados Unidos planeja redirecionar uma verba de US$ 41,9 milhões em ajuda humanitária, que seria enviada a países da América Central, para a oposição venezuelana, liderada por Juan Guaidó.

A informação foi divulgada pelo jornal Los Angeles Times, que teve acesso a um memorando enviado no dia 11 pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid).

No documento, enviado ao Congresso americano, a Usaid informa que a verba foi redirecionada em resposta a um “evento significativo e premente de interesse nacional dos EUA, especificamente a crise que avança rapidamente na Venezuela”. O documento cita a necessidade de apoiar Guaidó e a Assembleia Nacional do país, que é controlada pela oposição venezuelana.

De acordo com o memorando, a verba destinada à oposição venezuelana será usada para pagar salários de parlamentares, viagens aéreas, propaganda, assistência técnica, treinamento para eleições e outros projetos para construção da democracia.

De acordo com o jornal, a crise venezuelana se tornou uma causa célebre para Trump, especialmente com a aproximação das eleições, que voltaram os olhos do presidente – que tenta a reeleição – para a busca por apoio no sul da Flórida, onde a rejeição a Maduro é profunda.

Nos últimos meses, o governo Trump obteve grandes avanços em reunir apoio internacional a Guaidó, hoje reconhecido como presidente da Venezuela por mais de 50 países. Atualmente, o governo americano tem gasto uma grande quantia de dinheiro com a causa venezuelana, enviando milhões de dólares para países vizinhos que recebem migrantes venezuelanos e fornecendo ajuda humanitária ao país.

Em contraponto, Trump vem cortando a ajuda humanitária enviada à América Central em retaliação à onda migratória que parte da região em direção à fronteira sul dos EUA.

Entretanto, analistas políticos especializados em América Latina alertam que tanto o desvio de ajuda humanitária da América Central quanto o financiamento da oposição venezuelana são equívocos do governo. Primeiro, porque os migrantes provenientes da América Central deixam seus países justamente por conta das condições precárias de vida. Logo, cortar a ajuda tornaria esse cenário ainda pior.

“É uma péssima ideia não gastar essa verba na América Central. Especialmente num momento em que a intenção parece ser manter as pessoas naquela região. Não usar o fundo para melhorar as condições locais não faz sentido algum”, disse Geoff Thale, do Escritório de Washington na América Latina, ONG americana que atua em defesa dos direitos humanos na América Latina.

Já Cynthia Arnson, diretora para América Latina do think tank Wilson Center, aponta para o risco de gerar descrédito na oposição venezuelana, uma vez que é incomum o governo dos EUA pagar o salário de parlamentares estrangeiros.

“O perigo é que a oposição da Venezuela passe a ser percebida como ‘Made in USA’ [‘Feito nos EUA’, em tradução livre]’”, disse Arnson.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Paulo Oliveira disse:

    Atualmente nos quatro confins da terra,o verdadeiro Povo de DEUS,a semente da fé, reconhece a Jesus Cristo como Salvador,o Messias,é necessário a União pelo( governo da Justiça )entre as Nações.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *