Início » Internacional » Europa se prepara para onda de calor ‘potencialmente perigosa’
MEIO AMBIENTE

Europa se prepara para onda de calor ‘potencialmente perigosa’

De acordo com meteorologistas, uma tempestade estagnada sobre o Atlântico, além da alta pressão sobre a Europa Central, irão ocasionar a onda de calor

Europa se prepara para onda de calor ‘potencialmente perigosa’
As temperaturas no verão em julho e agosto serão maiores do que o normal (Foto: Pixabay)

Uma forte onda de calor vai atingir diferentes cidades da Europa, principalmente entre a Espanha e a Alemanha. As temperaturas podem ficar por volta dos 32ºC, mas podem chegar até 40°c nas áreas mais quentes.

De acordo com a empresa de meteorologia AccuWeather, uma tempestade que está estagnada sobre o Oceano Atlântico, em junção com a alta pressão sobre a Europa Central, está “puxando” o ar quente da África para o norte, levando uma “potencial perigosa onda de calor para grande parte da Europa Ocidental e Central”.

Na França, as temperaturas devem variar de 35°C e 40°C na maior parte do país. De acordo com a Météo-France, “mesmo que seja de curta duração, essa onda de calor pode ser notável por seu momento e intensidade”.

A ministra da Saúde da França, Agnès Buzyn, alertou autoridades locais, hospitais e casas de repouso a ficarem em alerta máximo, visto que a onda de calor de 2018 resultou na morte de 1.500 pessoas entre julho e agosto.

Segundo meteorologistas da Alemanha, existe uma chance de 50% das temperaturas atingirem 40°C. Inclusive, há a possibilidade das temperaturas quebrarem o recorde nacional de 40,3°C, que foi estabelecido na Baviera, em 2015.

De acordo com a AccuWeather, as cidades entre Madri a Berlim, inclusive Paris, Bruxelas e Frankfurt, vão encarar uma forte onda de calor já no início da próxima semana. As temperaturas devem ficar por volta de 32ºC, com possibilidades de serem ainda mais altas.

O meteorologista Eric Leister afirmou que serão “vários dias de calor extremo com noites quentes que não permitirão que os prédios ou casas fiquem sem ar-condicionado, criando condições de sono desconfortáveis e, possivelmente, aumentando o risco de doenças relacionadas ao calor”.

As previsões meteorológicas de longo alcance mostram que as temperaturas no verão em julho e agosto serão maiores do que o normal. O ano de 2018, segundo a Agência Ambiental Europeia, foi um dos três períodos mais quentes já registrados no continente.

“Os idosos e as crianças correm maior risco de tais doenças, e a exposição ao ar livre deve ser limitada durante os períodos mais quentes do dia para reduzir o risco de doenças”, completou Leister.

Os cientistas disseram que a onda de calor do ano passado aumentou as taxas de mortalidade, além de um grande declínio no rendimento das colheitas, desligamento de usinas nucleares e incêndios florestais dentro do Círculo Ártico.

Fontes:
The Guardian-Continental Europe braced for 'potentially dangerous' heatwave

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *