Início » Internacional » Rebeldes pró-Rússia podem ter derrubado avião na Ucrânia por engano
Malaysia Airlines

Rebeldes pró-Rússia podem ter derrubado avião na Ucrânia por engano

Apesar de não haver provas, evidências apontam que rebeldes pró-Rússia derrubaram avião da Malaysia Airlines após confundi-lo com avião militar ucraniano

Rebeldes pró-Rússia podem ter derrubado avião na Ucrânia por engano
Avião foi atingido por míssil quando sobrevoava o leste da Ucrânia (Reprodução/Economist)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Embora não existam provas, as evidências são fortes de que o avião da Malaysia Airlines tenha sido derrubado por rebeldes separatistas pró-Rússia, por engano, achando se tratar de um avião militar ucraniano, e de que podem ter sido ajudados por oficiais russos.

Leia mais: Avião da Malaysia Airlines cai na Ucrânia com 295 passageiros a bordo

O voo comercial MH17 foi atingido por um míssil na última quinta-feira, 17, quando sobrevoava o leste da Ucrânia a 33 mil pés. Ele caiu com 298 pessoas a bordo.

As investigações indicam que o míssil foi lançado de Chernukhino, próximo à cidade de Snezhnoye, a cerca de 80 km de Donetsk, território controlado pelos separatistas russos. O local fica a cerca de 20 km da área onde o avião caiu. Ao que tudo indica, o modelo de míssil usado para o abate foi o Buk, desenvolvido pelos soviéticos na década de 1970.

Horas antes da queda do avião, jornalistas da agência de notícias Associated Press disseram ter visto um lançador de míssil parecido com o modelo Buk próximo à cidade de Snezhnoye. Há relatos de que rebeldes separatistas roubaram mísseis do modelo Buk de uma base do exército ucraniano, próxima a Donetsk.

Porém, ainda não se sabe se os relatos são verdadeiros ou se tratam de boatos para acobertar oficiais russos que teriam fornecido armamento aos rebeldes. Também há dúvidas de que os rebeldes separatistas seriam capazes de operar o modelo Buk sem ajuda militar russa.

Intenção era atingir avião militar

Na última segunda, 14, um avião militar de carga ucraniano foi derrubado sobre a vila de Davydo Myilske, na região de Luhansk, perto da fronteira com a Rússia. Por isso, acredita-se que os responsáveis ​​pela queda do MH17 pensavam estar atacando outro avião militar.

A agência de Inteligência da Ucrânia (SBU) divulgou uma conversa interceptada por telefone entre rebeldes e um oficial da inteligência russa. Em uma das escutas, Igor Bezler, um dos líderes separatistas, informa que eles acabaram de derrubar um avião. Mais tarde, em outra ligação, outro separatista diz que foi derrubado um avião civil e que não há sinais de equipamento militar.

Logo, tudo sugere ter sido um erro trágico, feito por pessoas despreparadas. A questão que fica é: qual a participação da Rússia, se houve alguma, na tragédia do voo MH17?

Fontes:
The Economist - Flight MH17 :The evidence

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *