Início » Internacional » Ex-genro de Osama Bin Laden é julgado nos Estados Unidos
Porta-voz da Al Qaeda

Ex-genro de Osama Bin Laden é julgado nos Estados Unidos

Tido como a voz e o rosto da Al Qaeda, Sulaiman Abu Ghaith, ex-genro de Osama Bin Laden, é acusado de conspirar para matar americanos e recrutar jovens para ataques terroristas

Ex-genro de Osama Bin Laden é julgado nos Estados Unidos
Em sua defesa, Abu Ghaith diz que não tinha conhecimento dos planos para o ataque de 11 de setembro (Reprodução/Reuters)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A apenas alguns quarteirões do local onde ficavam as duas torres gêmeas do World Trade Center está em curso o julgamento de Sulaiman Abu Ghaith, ex-genro de Osama Bin Laden.

Abu Ghaith é acusado de conspirar para matar americanos e recrutar jovens para ataques terroristas. Ele foi preso ano passado na Jordânia e enviado para os Estados Unidos. É o mais alto membro da Al Qaeda a ser julgado por um tribunal civil.

O ex-genro de Bin Laden se declarou inocente, o que é incomum para um membro de um grupo terrorista. Em sua defesa, ele diz que não tinha conhecimento dos planos para o ataque de 11 de setembro. Sabia apenas que algo estava para acontecer.

Ele diz que horas após o ataque foi convocado para uma reunião com Bin Laden em uma caverna no Afeganistão. No dia seguinte se tornou o principal porta-voz da organização, aparecendo junto a Bin Laden em vários vídeos. Foi assim que ele se tornou o rosto e a voz da Al Qaeda.

Durante o julgamento, os promotores exibiram vídeos de Abu Ghaith falando em nome da Al Qaeda. Segundo eles, Abu Ghaith usa uma linguagem manipuladora para recrutar jovens para a organização terrorista. “Sem homens como ele, a Al Qaeda morreria a cada atentado”, disse o promotor John Cronan.

Stanley Cohen, o advogado de defesa, disse não haver evidências de que Abu Ghaith tinha um papel importante dentro da Al Qaeda. Ele disse que os vídeos eram apenas palavras e acusou os promotores de usá-los para despertar o lado emocional do júri.

A decisão de julgar Abu Ghaith em tribunal civil causou controvérsia. No ano passado, o senador republicano Mitch McConnell disse que, como um combatente inimigo do país, Abu Ghaith deveria ser julgado em Guantánamo, onde os demais terroristas estão sendo julgados.

Contudo, por não estar sendo acusado de nenhum crime de guerra, foi decidido que um tribunal civil era o local mais adequado para o julgamento de Abu Ghaith.

Fontes:
The Economist-The voice of al-Qaeda

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *