Início » Internacional » Ex-membro de tropa nazista vai ser julgado em tribunal alemão
JULGAMENTO

Ex-membro de tropa nazista vai ser julgado em tribunal alemão

Aos 94 anos, Reinhold Hanning é acusado de ser cúmplice no assassinato de pelo menos 170 mil pessoas no campo de extermínio Auschwitz-Birkenau, na Polônia

Ex-membro de tropa nazista vai ser julgado em tribunal alemão
Portão principal do campo de concentração de Auschwitz (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nesta quinta-feira, 11, Reinhold Hanning, de 94 anos, um ex-sargento do exército nazista vai ser julgado em um tribunal alemão. Ele é acusado de ser cúmplice no assassinato de pelo menos 170 mil pessoas no campo de extermínio Auschwitz-Birkenau, na Polônia, durante a Segunda Guerra Mundial, onde centenas de milhares de judeus húngaros foram mortos nas câmaras de gás.

Leia mais: A morte e o julgamento de lados opostos da guerra
Leia mais: Ex-soldado nazista recebe sentença de quatro anos 
Leia mais: A memória viva do Holocausto

As autoridades alemãs estão fazendo uma nova tentativa de levar os antigos criminosos de guerra à Justiça, e Hanning será o primeiro a enfrentar o tribunal como parte deste esforço.

Apesar de admitir que ele serviu o campo em 1943 e 1944, ele insiste que era apenas um guarda, que não machucou ninguém e que não sabia da existência das câmaras de gás.

Os procuradores, por sua vez, estão se baseando nas informações detalhadas sobre o número de mortos que os nazistas arquivaram, que mostram que centenas de milhares de judeus húngaros foram mandados para o campo.

Vários sobreviventes de Auschwitz, todos eles na faixa dos 90 anos, devem testemunhar contra Hanning. O juiz agendou 12 sessões que devem durar, no máximo, duas horas por dia, por conta da fragilidade do acusado.

Nas primeiras décadas depois da guerra, a perseguição penal contra os crimes relacionados ao Holocausto se concentrou nos casos em que era possível provar que o acusado tinha dado ordens para matar. A condenação, em 2011, na Alemanha, de John Demjanjuk, que era um guarda no campo de concentração Sobibor, foi o que abriu espaço para julgamentos contra cúmplices do Holocausto. A partir daí, servir em qualquer cargo num campo de extermínio é o suficiente para que se abra uma investigação contra a pessoa.

Dos 6.500 nazistas do campo de Auschwitz que sobreviveram à guerra, menos de 50 foram condenados. Além da Alemanha querer virar a página, as condenações também ficavam complicadas com a forte presença de ex-nazistas na magistratura.

Em julho, foi a vez de Oskar Gröning ser considerado culpado num tribunal alemão. Aos 94 anos, ele foi considerado culpado por ser cúmplice no assassinato de 300 mil judeus húngaros em Auschwitz.

Fontes:
The Guardian-Auschwitz guard to be tried over 170,000 concentration camp deaths
BBC-Auschwitz trial: Ex-guard Reinhold Hanning in German court
Mirror-94-year-old Reinhold Hanning on trial accused of killing 170,000 people in horrors of Auschwitz
The New York Times-Trial of Reinhold Hanning, Ex-Auschwitz Guard, to Open in Germany

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Não conheço a justiça alemã, mas conheço a posição do sargento em qualquer exército; ele não participa das decisões, apenas se encarrega da execução. Foi o que ele fez.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *