Início » Internacional » Exército colombiano matou civis para forjar sucesso contra as Farc
falso progresso

Exército colombiano matou civis para forjar sucesso contra as Farc

Relatório da Human Rights Watch revela que soldados matavam civis, colocavam armas em seus corpos e os apresentavam como guerrilheiros mortos em confronto

Exército colombiano matou civis para forjar sucesso contra as Farc
Estratégia nefasta era usada para simular progresso contra o grupo guerrilheiro (Foto: Wikipedia)

Em uma nefasta tentativa de simular sucesso no combate às Farc, o exército colombiano matou centenas, possivelmente milhares de civis, entre 2002 e 2008, para apresentá-los falsamente como guerrilheiros mortos em confronto.

A revelação faz parte de um relatório divulgado pela organização de direitos humanos Human Rights Watch. As mortes, classificadas como “falso progresso”, não são novidade e já foram pivô de um escândalo em 2008. Porém, o novo relatório mostra que a prática de matar civis era muito mais ampla e sistemática do que se tinha notícia.

Segundo o relatório, muitos dos altos oficiais do exército colombiano não condenavam a prática, nem tomavam qualquer providência contra ela. “Sob pressão de seus superiores para mostrar resultados positivos e aumentar a contagem de corpos de guerrilheiros, soldados e oficiais levavam as vítimas para locais remotos sob falsos pretextos, como promessas de emprego, as matavam, colocavam armas sobre seus corpos e depois as apresentavam como guerrilheiros mortos em confronto”, diz o documento.

O texto diz que as mortes representam “um dos piores episódios de atrocidade em massa da história recente do Ocidente”. O auge do falso progresso ocorreu quando o então presidente Álvaro Uribe enrijeceu o combate às Farc e tomou de volta vastos territórios do país controlados pelos guerrilheiros. Na época, o atual presidente colombiano, Juan Manuel Santos, ocupava o posto de secretário de Defesa da Colômbia.

Nesta quarta-feira, 24, a Human Rights Watch apresentou o relatório a Santos, que atualemente é adversário político de Uribe e tenta negociar um acordo de paz com as Farc, a guerrilha mais longa do Ocidente.

Fontes:
The Washington Post-Colombian army killed civilians to fake battlefield success, rights group says

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *