Início » Internacional » A explosão da demanda global por areia
RISCO AMBIENTAL

A explosão da demanda global por areia

Avanço da construção civil na China e na Índia fez a demanda global por areia saltar nos últimos anos e pode causar danos ao meio ambiente

A explosão da demanda global por areia
Processo de erosão já suprimiu boa parte do total de praias do mundo (Foto: Flickr/Sroown)

Costumamos pensar que a areia é um recurso natural tão abundante quanto a água. No entanto, um recente boom na construção civil global somado à expansão do setor de fracking americano criou uma demanda sem precedentes de areia, gerando até mesmo briga entre traficantes do recurso, algo que antes era impensável.

Segundo a consultora Freedonia Group, a demanda crescerá 5,5% ao ano até 2018. A China e a Índia são as maiores responsáveis pelo aumento na demanda. Segundo dados do Departamento de Estatísticas de Comércio das Nações Unidas, a China representa um quinto da importação global de areia. O frenético avanço da construção civil e a criação de ilhas artificiais no mar da China Meridional fez o país importar mais areia nos últimos quatro anos do que os EUA no último século.

Até mesmo os Emirados Árabes estão importando areia. Segundo a ONU, em 2014 o país importou um total do recurso estimado em US$ 456 milhões.  Embora seja rodeado de deserto, a areia usada na construção civil do país é importada. Isso porque a areia desértica é muito fina para o uso.

A demanda exacerbada por areia traz algumas preocupação ambientais. De 1968 a 2008, o processo de erosão já suprimiu boa parte do total de praias do mundo, segundo Pascal Peduzzi, chefe do Departamento da ONU para Transformações Globais e Vulnerabilidade.

“Ainda temos uma enorme quantidade de areia. Mas como usamos muito, a areia está ficando rara. Isso não significa que temos de parar de usar a areia, apenas que temos de ser mais cautelosos”, explica Peduzzi.

Fontes:
BBC-Even desert city Dubai imports it's sand. Here's why

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *