Início » Cultura » Exposição na ONU reúne retratos de sobreviventes do Holocausto
NOVA YORK

Exposição na ONU reúne retratos de sobreviventes do Holocausto

Registros são de autoria do fotógrafo Luigi Toscano, que fotografa sobreviventes do Holocausto há três anos

Exposição na ONU reúne retratos de sobreviventes do Holocausto
Toscano não fotografa apenas vítimas judias, mas todos aqueles que foram perseguidos naquele momento histórico (Foto: Divulgação)

A sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, exibe, desde a última segunda-feira, 22, uma exposição fotográfica com retratos de sobreviventes do Holocausto. Os registros são de autoria do fotógrafo ítalo-alemão Luigi Toscano.

Intitulada “Sobreviventes, vítimas e perpetradores”, a exposição tem parceria com a Casa de Conferência de Wannsee de Berlim. Além das fotos dos sobreviventes, há 13 murais com explicações do que foi a Conferência de Wannsee, e onde ocorreu o planejamento de extermínio em massa dos judeus.

Toscano, que fotografa sobreviventes do Holocausto há três anos, não tira retratos apenas de vítimas judias, mas de todos aqueles que foram perseguidos naquele momento histórico, como ciganos e homossexuais. Até agora, ele já eternizou o rosto e o olhar de mais de 200 pessoas, de seis países diferentes, num projeto chamado “Contra o Esquecimento”. Por enquanto, o projeto não data para acabar, já que ele continua fotografando mais pessoas. Só nesta viagem aos Estados Unidos, por exemplo, ele se encontrou com mais 15 sobreviventes que vão ser fotografados.

Antes de tirar o retrato, Toscano se aproxima da pessoa e escuta suas histórias. “Eu me aproximo das pessoas de forma bem humana. Essa espécie de ritual tem diferentes etapas e é bastante emocionante e engraçado, tudo ao mesmo tempo”, disse o fotógrafo. Só depois de ter conquistado a confiança do sobrevivente é que Toscano pergunta se pode tirar o retrato.

Nascido na Alemanha, o fotógrafo é de família italiana. Aos 18 anos, ele visitou o campo de concentração e de extermínio de Auschwitz, na Polônia, para entender melhor aquele período histórico. “Algum tempo depois de eu ter estudado fotografia, decidi que gostaria de abordar este tema e isso em um momento em que o antissemitismo estava crescendo tanto na Europa quanto em outros lugares”, conta Toscano. Com suas fotos, ele espera que esta história não seja esquecida para que ela nunca se repita.

Leia também: A memória viva do Holocausto
Leia também: Morre no Rio de Janeiro Aleksander Laks, sobrevivente do Holocausto

Fontes:
DW-Exposição na ONU retrata sobreviventes do Holocausto

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Laércio disse:

    Desordem gera discórdia e submete o povo a castigos não merecidos.

    Precisamos de um país com ordem para evitar discórdia que nos leve ao caos; felizmente na data de hoje parece que apareceu uma luz no fim do túnel e podemos acreditar no funcionamento das instituições.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *