Início » Internacional » Falta de confiança na polícia contribui para aumento de homicídios nos EUA
Estados Unidos

Falta de confiança na polícia contribui para aumento de homicídios nos EUA

Os casos mais recentes de assassinatos por policiais fazem com que a população não confie na policia

Falta de confiança na polícia contribui para aumento de homicídios nos EUA
Segundo pesquisa, confiança de americanos na polícia é a menor desde 1993 (Foto: Wikimedia)

O número de assassinatos sempre sobe no verão em cidades americanas. O calor leva pessoas — e suas armas — às ruas, onde discussões e brigas acontecem. Mas o verão americano deste ano tem sido particularmente sangrento. Em julho, 45 pessoas foram assassinadas em Baltimore, no estado de Maryland. Este foi o mês mais violento na cidade desde agosto de 1972, quando a população era quase 50% maior do que é hoje.

E Baltimore não é a única cidade com este problema. Ainda não foram divulgadas as estatísticas de homicídio nos Estados Unidos deste ano, e é impossível provar se a taxa no país subiu ou desceu. Mas cidadãos sugerem que os números deram um salto em várias cidades grandes, particularmente nas com história de conflitos raciais e crimes.

Em Milwaukee, no estado de Wisconsin, uma das cidades mais segregadas dos Estados Unidos, foram assassinadas 90 pessoas na primeira metade de 2015, o dobro do que no mesmo período do ano passado. Em St Loius, centro de protestos contra a polícia no ano passado, o número aumentou em 60%; em Nova Orleans, em 30%; em Washington, DC, 18%; em Nova York, 11%. Em Los Angeles, Phoenix e San Diego, porém, o número de assassinatos caiu. Mas a tendência atinge cidades o suficiente para preocupar os chefes de polícia, que já realizaram reuniões para discutir o aumento da criminalidade.

A aparente subida destes números vem em uma época em que a polícia americana está desacreditada. No dia 9 de agosto, os protestos que marcavam um ano do assassinato de Michael Brown, um adolescente negro morto pela polícia em Ferguson, um subúrbio de St. Louis, terminou com outro homem negro sendo baleado por policiais. O jornal Washington Post estima que 24 homens negros desarmados foram assassinados este ano (em um total de 585 mortes pela polícia). Uma pesquisa sugere que em junho a confiança na polícia atingiu seu menor nível desde 1993.

Em Baltimore, poucos sabem dizer o que causou o crescimento destas taxas. A maioria liga os assassinatos aos protestos à morte de Freddie Gay, um jovem negro, depois que ele foi preso com violência pela polícia. Outra possibilidade é a guerra entre gangues traficantes de drogas.

Policiais americanos estão descontentes com a tempestade política que vem acontecendo desde os protestos em Ferguson no ano passado: eles se sentem constantemente ameaçados pelas mídias locais e por políticos. A união policial de Baltimore diz que a decisão da procuradora-chefe, Marilyn Mosby, de condenar os seis policiais que prenderam Freddie Gray desmoraliza os policiais.

Fontes:
The Economist - Midsummer murder

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *