Início » Internacional » Familiares separados na Guerra da Coreia se reencontram após 68 anos
LÁGRIMAS E EMOÇÃO

Familiares separados na Guerra da Coreia se reencontram após 68 anos

Centenas de familiares separados durante a Guerra da Coreia (1950-1953) se reuniram pela primeira vez nesta segunda-feira, 20

Familiares separados na Guerra da Coreia se reencontram após 68 anos
Famílias passarão 11 horas juntas até a próxima quarta-feira, 22 (Foto: Yonhap)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Quase 70 anos após a Guerra da Coreia, centenas de familiares sul e norte-coreanos, que foram separados entre 1950 e 1953, se reuniram nesta segunda-feira, 20. Muitos se reencontravam pela primeira vez e mal se lembravam de seus parentes. O encontro aconteceu no Monte Kumgang, na Coreia do Norte.

Essa é a 20ª reunião entre os familiares que ocorre desde o ano 2000, e a primeira em quase três anos. Com a reaproximação das Coreias do Sul e do Norte, é possível que os laços sejam estreitados e os encontros entre os familiares sejam mais frequentes.

Segundo dados divulgados pela Yonhap, a agência estatal de notícias da Coreia do Sul, 89 sul-coreanos encontraram cerca de 180 membros de suas famílias que vivem na Coreia do Norte. Os familiares poderão passar 11 horas juntos, até a próxima quarta-feira, 22, antes de retornarem às suas residências. Nesta segunda-feira, os familiares ficaram cerca de duas horas juntos.

Ao todo, os familiares terão seis reuniões para se conhecer melhor. Na manhã da próxima terça-feira, 21, os coreanos vão se reunir para, mais tarde, almoçarem juntos em seus quartos de hotel.

A maior parte dos sobreviventes já tem uma idade avançada. De acordo com dados da Cruz Vermelha, existem apenas 57 mil sobreviventes da Guerra da Coreia atualmente. Segundo números do governo da Coreia do Sul, 41% deles têm mais de 80 anos, enquanto 21% já ultrapassaram os 90 anos.

“É uma vergonha para os dois governos, do Sul e do Norte, que muitas das famílias tenham morrido sem saber se seus parentes perdidos estavam ou não vivos. […] Expandir e acelerar as reuniões familiares é uma prioridade máxima entre os projetos humanitários a serem realizados pelas duas coreias”, afirmou o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, segundo noticiou o Guardian.

Após essa rodada de reuniões, o próximo reencontro vai ocorrer na próxima sexta-feira, 24, quando 83 norte-coreanos se reunirão com mais de 300 familiares sul-coreanos. Nessa ocasião, os encontros serão realizados até o próximo domingo, 26.

Emoção e fragilidade

A emoção tomou conta das famílias que estavam presentes. Muitos pais e mães não viam seus filhos há 68 anos, desde que a Guerra da Coreia foi iniciada. Tios, sobrinhos e primos também se reencontraram, já que, devido à idade, muitos pais já haviam morrido.

Mesmo com criações e pensamentos diferentes – devido às diferenças entre as doutrinas presentes em cada país -, houva lágrimas derramadas por sul-coreanos e norte-coreanos.

Muitos idosos começavam as frases para falar com seus filhos, mas rapidamente eram interrompidos pelas lágrimas que não paravam de escorrer. “Quando eu escapei da guerra…”, tentou falar Han Shin-ja, de 99 anos, antes de ser incapaz de continuar por causa do choro. Foi a primeira vez que a idosa reencontrou suas filhas, Kim Gyong-sil e Gyong-yong, que estão na faixa dos 70 anos. Elas se separaram em janeiro de 1951.

A pessoa mais velha a participar do reencontro foi Baik Sung-gyu, de 101 anos, que chegou à reunião acompanhado de seu filho, que também mora no sul. Lá, com sorriso no rosto, Baik Sung-gyu conheceu a sua filha, sua nora e neta, que vivem na Coreia do Norte. O idoso não falou muito, mas seu filho liderou a conversa: “Eu sou seu tio”, disse à neta de Baik Sung-gyu.

Reaproximação intercoreana

O novo reencontro foi possível porque, desde o início de 2018, os governos de ambas as coreias vêm se aproximando lentamente. Em abril, o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se encontraram e prometeram assinar um tratado de paz para, finalmente, dar fim à Guerra da Coreia – tecnicamente, os países ainda estão em guerra.

Na última segunda-feira, 13, os governos anunciaram que vão se reunir mais uma vez em setembro, a segunda reunião oficial em quase seis meses. A data ainda não foi definida, mas o encontro deve ocorrer em Pyongyang, a capital da Coreia do Norte.

Fontes:
Yonhap-War-separated families of Koreas meet for first time in over 6 decades
The Guardian-Tears flow as separated South and North Korean families reunite

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *