Início » Vida » Comportamento » Famílias indianas ainda preferem filhos homens, diz estudo
ÍNDIA

Famílias indianas ainda preferem filhos homens, diz estudo

Até hoje, o nascimento de meninos na Índia é celebrado com orgulho, enquanto o de meninas é motivo de vergonha e até de luto

Famílias indianas ainda preferem filhos homens, diz estudo
A diferença entre o número de homens e mulheres é resultado de abortos motivados pela filha ser menina (Foto: Pixabay)

Um novo estudo indiano revelou que as famílias ainda preferem ter filhos homens, mesmo quando elas têm uma situação econômica favorável. O estudo, que é uma pesquisa econômica anual do governo, mostrou que o país tem, estaticamente, 63 milhões de mulheres a menos do que deveria ter. Além disso, mais de 21 milhões de meninas nasceram, quando, na verdade, suas famílias queriam um menino.

A diferença entre o número de homens e mulheres é resultado de abortos motivados pela filha ser menina. Para piorar, os meninos recebem mais instrução escolar, melhores cuidados médicos e alimentícios simplesmente por serem homens.

O estudo, divulgado na última segunda-feira, 29, analisou taxas de natalidade e de gênero dos recém-nascidos no país. A pesquisa revelou que famílias com um filho homem são mais propensas a parar de ter filhos do que famílias com uma filha mulher.

Até hoje, o nascimento de um homem na Índia é celebrado e visto como um motivo de orgulho familiar, enquanto o de uma menina é motivo de vergonha e até de luto. Os pais de meninas já se preocupam com as enormes dívidas que vão ter que fazer por conta de seus casamentos.

Muitas mulheres, inclusive as com boa situação econômica, dizem enfrentar muita pressão, frequentemente das sogras, para terem filhos homens.

Segundo o estudo, o noroeste da Índia é a região onde há os melhores registros de desenvolvimento da mulher e deveria ser “um modelo para o resto do país”.

Fontes:
The Guardian-More than 63 million women 'missing' in India, statistics show

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *