Início » Internacional » Fidel Castro declara que Cuba adotará o comunismo
NESTA DATA

Fidel Castro declara que Cuba adotará o comunismo

Em 16 de abril de 1961, o líder cubano Fidel Castro anunciou em transmissão televisiva que Cuba é um país comunista

Fidel Castro declara que Cuba adotará o comunismo
Em discurso transmitido pela televisão, Fidel Castro anunciou o regime comunista (Foto: Pixabay)

Dois anos após a Revolução Cubana derrubar o governo do presidente Fulgêncio Batista, o líder revolucionário cubano Fidel Castro anunciou em um discurso transmitido pela televisão, em 16 de abril de 1961, que a ilha caribenha adotará o regime comunista.

Por muitos anos Cuba viveu sob forte influência política e econômica dos Estados Unidos. As grandes empresas americanas comandavam as indústrias de açúcar – principal produto da ilha – e os hotéis cubanos. Além disso, os governos eram escolhidos de acordo com o interesse americano, e desse modo, Cuba era um território dependente dos Estados Unidos.

Durante os anos de influência americana, a desigualdade social no país era alta e grande parte da população vivia em condições de pobreza. Com a chegada de Fulgêncio Batista ao governo do país, o favorecimento ao vizinho norte-americano foi ainda mais amplo. Batista conviveu com uma grande insatisfação dessas camadas mais baixas, principalmente por suas medidas repressoras aos opositores.

Fidel Castro, um opositor do governo de Batista, conseguiu reunir um grupo de combatentes durante seu exílio no México. Cerca de 80 pesssoas, entre eles seu irmão Raúl Castro, Ernesto Che Guevara e Camilo Cienfuegos, entraram em Cuba em 1957 e iniciaram o processo revolucionário.

Aos poucos, conquistaram apoio popular e o grupo de guerrilheiros derrubou o governo de Fulgêncio Batista, em janeiro de 1959. Com Fidel Castro no comando do país, Cuba passou por diversas mudanças, como a nacionalização de bancos e empresas, reforma agrária, expropriação de grandes propriedades e reformas nos sistemas de educação e saúde. Essas medidas chamaram atenção dos Estados Unidos e da União Soviética.

Enxergando uma inclinação maior da ilha com o comunismo, os Estados Unidos impuseram em 1960 um bloqueio econômico que dura até os dias atuais. Com essa retaliação, Fidel Castro declarou o regime comunista no país, o que ele sempre relutou fazer, e acabou recebendo forte apoio da União Soviética.

Fontes:
Sua Pesquisa-Revolução Cubana
Guia do Estudante-Fidel e a revolução: 45 anos depois

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. laercio disse:

    O Brasil está nas mãos de nações estrangeiras mais também na de políticos brasileiros que deveriam ser chamados de apátridas.

    Diferente de Cuba temos terras, muita água, boas temperaturas, etc…

    Não devemos ficar a mercês de tais capitais tampouco sendo manipulados por traidores da pátria.

    O povo deve evocar o artigo 14 dá constituição e fazer uma revolução para que haja mais plebiscitos em prejuízo do número dos políticos atuais.

    Os apatridas e os cartéis internacionais estão sucateando o Brasil sob todos os aspectos, o que inclui nossa soberania.

    Grupos independente e rivais ganham força; estamos a poucos passos de se tornar uma líbia

  2. Ezequiel disse:

    A desigualdade social era muito alta durante a influência americana em Cuba, mas com a influência comunista e isolamento do mundo veio a igualdade da retórica, só que por baixo.

  3. Ludwig Von Drake disse:

    A História registra claramente que foi o “bloqueio” que jogou Cuba nas mãos da URSS. A persuasão pró ditadura do proletariado foi tão forte que Cuba até hoje acredita nisso; Moscou não mais.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *