Início » Vida » Comportamento » Filas marcam início da venda de maconha legalizada na Califórnia
USO RECREATIVO

Filas marcam início da venda de maconha legalizada na Califórnia

Califórnia inaugura comércio legalizado de maconha para uso recreativo na madrugada de Ano Novo e americanos formam filas nas lojas licenciadas

Filas marcam início da venda de maconha legalizada na Califórnia
Califórnia é o 6º estado americano a introduzir a venda da erva regulada, licenciada e tributada (Foto: Reprodução/Elijah Nouvelage/Reuters)

O estado da Califórnia deu início na última segunda-feira, 1, à venda de maconha legalizada para fins recreativos. Ainda na madrugada de Ano Novo, consumidores faziam fila nos estabelecimentos liberados para a venda.

Leia também: Califórnia se prepara para a venda recreativa de maconha

Há pelo menos duas décadas os usuários da erva aguardavam a liberação da venda para uso recreativo no estado, que já havia autorizado a venda para uso medicinal em 1996. Com a medida, a Califórnia se tornou o sexto estado americano a introduzir a venda da maconha regulada, licenciada e tributada pelo governo. Colorado, Washington, Oregon, Alasca e Nevada foram os primeiros. Massachusetts e Maine devem seguir os mesmos passos.

A expectativa é que o mercado californiano de maconha recreativa seja o maior do mundo. Por se tratar do estado mais populoso dentre os que já vendem a erva legalmente, estima-se que o comércio gere um faturamento anual de pelo menos US$ 7 bilhões – mais que os US$ 6,6 bilhões arrecadados por todo o mercado de cannabis dos Estados Unidos em 2016.

De acordo com a empresa de consultoria ArcView, as vendas legais de maconha medicinal nos Estados Unidos e no Canadá alcançaram, em 2016, mais de US$ 11,7 bilhões e se espera que cheguem a US$ 23 bilhões nos próximos cinco anos.

Entretanto, ainda são poucos os estabelecimentos que vendem a maconha para uso recreativo: cerca de 50 lojas e distribuidoras. Dessa forma, as filas não puderam ser evitadas na inauguração do comércio legalizado no estado. Outras centenas estabelecimentos devem ser licenciados ao longo do ano.

Regras

Mesmo liberado, o comércio de maconha na Califórnia tem uma série de restrições, a fim de tranquilizar os que se opõem à medida polêmica, que incluem políticos, ligas de defesa à família e organizações religiosas.

Uma delas diz respeito aos dispensários que venderão a droga. Eles não poderão operar dentro de um raio de 180 metros de uma escola, e em algumas jurisdições está proibida a venda a menos de 305 metros de parques públicos, creches e outras áreas tratadas como “sensíveis”. Além disso, somente maiores de 21 anos podem comprar a droga, limitada a 28 gramas por compra.

Já o cultivo em casa não tem restrições de distância em relação a escolas ou parques, mas é limitado a seis plantas.

Uruguai

A situação remete à mesma vivida no Uruguai, que legalizou a venda da maconha em julho do ano passado e registrou filas nas farmácias que comercializavam a erva. Na época, a inauguração das vendas chegou a esgotar o estoque de maconha em Montevidéu.

No entanto, o que se tornou sucesso hoje enfrenta dificuldades para se manter. O comércio foi travado em dezembro devido à alta demanda e à restrição dos bancos do país, que se recusam a receber dinheiro das farmácias que vendem maconha, por medo de sanções dos Estados Unidos – a lei federal americana proíbe o sistema financeiro de ter relações com entidades que comercializam maconha e outras substâncias.

Apesar das dificuldades, o governo uruguaio está em negociações com os americanos para solucionar o problema.

Fontes:
G1-Califórnia se torna maior mercado legal de maconha do mundo; consumidores fazem fila
O Globo-Americanos iniciam 2018 fazendo fila para comprar maconha na Califórnia
CNN-Californians line up to legally buy recreational pot

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Beraldo disse:

    Isto aí não é nada.

    Neste exato momento, milhões de brasileiros estão tomando uma cachacinha nos milhões de botecos espalhados pelo país.

    Outros milhões de cachaceiros estão aposentados por invalidez ou ocupando quartos de hospitais psiquiátricos.

    A refletir.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *