Início » Internacional » Filho mais velho de Fidel Castro comete suicídio
OBITUÁRIO

Filho mais velho de Fidel Castro comete suicídio

Fidel Ángel Castro Díaz-Balart vinha sendo tratado há meses por causa de uma depressão profunda

Filho mais velho de Fidel Castro comete suicídio
Fidelito teve um papel importante nas tentativas de desenvolver energia nuclear em Cuba (Foto: ACN)

Fidel Ángel Castro Díaz-Balart, filho mais velho do ex-líder cubano Fidel Castro, cometeu suicídio na última quinta-feira, 1. A notícia foi dada pela mídia estatal cubana.

Díaz-Balart era físico nuclear e tinha 68 anos. Há meses, ele vinha sendo tratado por conta de uma depressão profunda. O suicídio de Díaz-Balart ocorre dois anos após a morte de Fidel Castro, em novembro de 2016.

Também conhecido como “Fidelito”, Díaz-Balart era o único filho de Fidel com sua primeira esposa, Mirta Díaz-Balart. Ele era conselheiro científico do Conselho de Estado de Cuba e vice-presidente da Academia de Ciências do país. Ele fez doutorado em Ciências Físico-Matemáticas no Instituto Kurchatov, em Moscou.

Díaz-Balart teve um papel importante nas tentativas de desenvolver energia nuclear em Cuba. Foi secretário-executivo da Comissão de Energia Atômica de Cuba de 1980 a 1992 e responsável pelo projeto de construir uma usina nuclear em Juraguá. As construções foram suspensas em 1992, quando os financiamentos acabaram por conta do colapso da União Soviética. Em 2000, o projeto foi abandonado.

Em entrevista dada à emissora russa RT, em 2013, Díaz-Balart afirmou que nunca teve ambição política. “Durante toda minha carreira fui um cientista […] A família Castro, como em todas as famílias, não é um corpo único, uma pessoa. É um conglomerado de diferentes pessoas com diferentes visões e diferentes passados”, disse o filho de Fidel.

A infância de Díaz-Balart foi marcada pela batalha por sua guarda. Seus pais se divorciaram em 1955, quando ele tinha 6 anos. Um ano depois, quando ambos os pais estavam no México, Fidel arranjou uma forma de visitar o filho por duas semanas. No final da visita, Castro deixou Díaz-Balart com um amigo e foi para Cuba com rebeldes no iate Granma para começar a campanha de guerrilha contra o governo.

Mirta Díaz-Balart, com ajuda de sua família e da embaixada cubana na Cidade do México, contratou sequestradores profissionais para recuperar o filho. Quando mãe e filho se reencontraram, ela o levou para Nova York por um ano. Mas depois que Castro assumiu o poder em Cuba, em 1959, ele convenceu sua ex-esposa a trazer o filho de volta para a ilha.

Numa segunda entrevista à RT, também em 2013, Díaz-Balart contou que usou um nome falso quando estudou na União Soviética. Na adolescência, teve pouco contato com o pai. “Não é segredo que nos anos da minha adolescência e juventude, Cuba estava passando por uma situação muito difícil”, disse ele, em referência à época em que houve a ofensiva americana para invadir a Baía dos Porcos e a Crise dos Mísseis.

Fontes:
The New York Times-Fidel Castro’s Eldest Son Commits Suicide, Cuban Media Says
RTP-Filho mais velho de Fidel Castro morre em Havana
ACN-Falleció el compañero Fidel Castro Díaz-Balart

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Almanakut Brasil disse:

    E tem padre que ainda celebra missa para bandido!

    Para quem será a próxima?

    O capeta existe – Luiz Carlos Alborghetti

    kfv2000

    https://www.youtube.com/watch?v=riSmiPsLVSw

  2. Almanakut Brasil disse:

    Ex-líder cubano!

    O jornalismo formado em universidade de esquerda, sustentada com dinheiro público sempre “canoniza” DITADORES e assassinos!

    O Regime Militar do Brasil foi brando ou não foi?

  3. Carlos Valoir Simões disse:

    É fácil entender porque que o Fidelito deu cabo à própria miserável vida: de que adianta um físico-matemático em um país que ainda não aprendeu a plantar cana?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *