Início » Internacional » Filhos do casal Turpin têm sinais de deficiência cognitiva
CASO TURPIN

Filhos do casal Turpin têm sinais de deficiência cognitiva

Segundo informações, a polícia pode usar cães farejadores para procurar cadáveres na casa da família Turpin

Filhos do casal Turpin têm sinais de deficiência cognitiva
David Turpin teria abusado sexualmente de uma das filhas do casal (Foto: Facebook)

Novos dados apontam que todos os 13 filhos do casal David e Louise Turpin têm sinais de deficiência cognitiva, conforme noticiou a emissora americana CBS News. Os jovens foram libertados há uma semana, no último dia 15 de janeiro, e encaminhados diretamente para o hospital devido a um quadro de severa desnutrição. O casal responde por abuso infantil, maus-tratos, sequestro, negligência, tortura e prisão ilegal. No entanto, ambos alegam inocência das acusações.

Além das acusações listadas, o advogado do distrito de Riverside County, Mike Hestrin, disse que David Turpin teria abusado sexualmente de uma das filhas menores de idade. “Este é um abuso severo, emocional e físico. Não há como contornar isso. Esta é uma conduta depravada”, apontou Hestrin.

De acordo com Hestrin, as crianças eram educadas em casa, nunca tinham ido ao dentista e não iam ao médico há anos. Os psicólogos informaram que a recuperação pode demorar muitos anos, sendo mais difícil para os filhos mais velhos.

Segundo Patricia Costales, executiva-chefe da Guidance Center, uma organização sem fins lucrativos da Califórnia que oferece terapia de saúde mental a crianças, o cérebro dos mais jovens ainda estão se formando, desenvolvendo uma compreensão do mundo, mas “alguém que experimentou essas coisas por vinte e poucos anos de vida terá muito aprendizado a fazer sobre como são os relacionamentos, como é o mundo, como devem ser tratados”.

Jessica Borelli, uma psicóloga clínica e professora da Universidade da Califórnia, disse que, apesar dos abusos sofridos, eles terão que se esforçar para ficar longe dos pais, pois eles eram “fontes de segurança”. “Esse impulso para voltar com as pessoas que devem manter você segura é incrivelmente forte, e é isso que deve ser substituído para sair de uma situação abusiva”, disse Borelli.

A polícia da Califórnia, nos Estados Unidos, estaria analisando o uso de cães farejadores para buscar possíveis corpos dentro da casa da família Turpin. Além disso, os detetives também não dispensam a realização de exames de DNA para comprovar que todos pertencem à mesma família. As informações são do Crime Watch Daily, um programa de notícias transmitido para vários estados americanos, mas não foram confirmadas pelos investigadores do caso.

A intenção dos policiais seria verificar a hipótese de morte e ocultação de cadáveres durante o tempo que os Turpin moraram na casa e mantiveram seus filhos em cativeiro. Segundo o programa televisivo, fontes confirmaram que houve “sérias discussões” sobre levar cães para ajudar na investigação.

Caso Turpin

David e Louise Turpin foram presos por manterem seus 13 filhos, com idades entre 2 e 29 anos – sendo sete maiores de idade e seis menores de 18 anos -, em cativeiro e submetidos à tortura em casa.

A polícia chegou ao local depois de uma das filhas do casal Louise Anna Turpin, de 49 anos, e David Allen Turpin, de 57 anos, fugir da casa. A jovem, de 17 anos, usou um celular encontrado na residência para entrar em contato com o serviço de emergência. Ela estava com sinais de desnutrição, e, segundo os agentes, aparentava ter apenas 10 anos.

O casal Turpin responde pelos crimes de abuso infantil, maus-tratos, sequestro, negligência, tortura e prisão ilegal. Caso sejam condenados por todas as acusações, a pena pode chegar em até 94 anos de prisão. David e Louise, por outro lado, se declararam inocentes.

Fontes:
RTP - Irmãos da família Turpin apresentam sinais de deficiência cognitiva
Independent - Turpin family: Police may bring in dogs to search for bodies in house where children 'tortured' by parents, reports say
NBC News - California torture house: 13 siblings allowed to eat once a day, shower once a year

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *