Início » Internacional » Frio extremo deixa pelo menos três mortos nos EUA
TEMPERATURAS DE ATÉ -60ºC

Frio extremo deixa pelo menos três mortos nos EUA

Em Chicago, onde será o 'epicentro' das baixas temperaturas, deve fazer mais frio do que na Antártida nesta quarta-feira, 30

Frio extremo deixa pelo menos três mortos nos EUA
Clima frio deve ceder na noite da próxima quinta-feira, 31, mas permanece até segunda-feira, 4 (Foto: Siddy/Twitter)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Pelo menos três pessoas morreram devido ao frio extremo que atinge os Estados Unidos. As temperaturas mais baixas devem ser alcançadas nesta quarta-feira, 30. Segundo o Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos (NWS, sigla em inglês), as temperaturas mais baixas podem variar entre -30ºC e -60ºC.

De acordo com a CNN, todas as mortes relacionadas ao frio ocorreram no Centro-Oeste. A mais recente foi registrada na última terça-feira, 29, em Milwaukee, quando um homem de 55 anos aparentemente desmaiou em sua garagem, enquanto retirava neve do local, segundo informou o escritório do médico-legista.

Ao todo, cerca de 212 milhões de pessoas – quase 72% de toda a população dos Estados Unidos – devem enfrentar temperaturas abaixo de zero nos próximos dias. Já outros 83 milhões – cerca de 25% – devem encarar as temperaturas negativas em algum momento até a próxima segunda-feira, 4. A onda de frio deve começar a perder força a partir da próxima quinta-feira, 31, mas deve permanecer até segunda.

Muitas empresas e escritórios governamentais já suspenderam o funcionamento nesta quarta-feira, o que também deve ocorrer na próxima quinta-feira. O transporte público, como trens e ônibus, estão prejudicados em muitos estados, levando a cancelamentos e atrasos. Em alguns estados, o frio também suspendeu a entrega de correspondências.

A cidade que mais deve sofrer com o frio intenso é Chicago, localizada no estado de Illinois. O escritório local da NWS informou, pelas redes sociais, que a temperatura mínima deve variar entre -45ºC e -60ºC, enquanto a máxima será entre -17ºC e -11ºC. Para ter uma ideia, as temperaturas mínimas previstas para Chicago ficarão bem abaixo das previstas para partes da Antártida, que devem chegar até -21ºC nesta quarta-feira. A NWS orienta os residentes a limitarem o tempo que passam ao ar livre e a permanecerem aquecidos em casa.

Apesar de Chicago ser “o epicentro do frio extremo”, segundo categorizou o meteorologista da CNN, Dave Henten, a situação em Minnesota pode ser mais alarmante. Isso porque, além do frio, o estado ainda lida com um tempo chuvoso, o que pode causar a sensação térmica de até 70 graus negativos.

A Administração Federal de Aviação (FAA, em inglês) informou que, entre a última terça-feira e esta quarta-feira, milhares de voos já foram cancelados em diferentes estados, enquanto outras centenas sofrem atrasos. Pelo Twitter, a FAA orienta que o passageiro verifique o status do voo diretamente com a companhia aérea, esclarecendo que a “FAA não cancela voos”.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, debochou, na última segunda-feira, 28, do fenômeno climático do aquecimento global. Diante do frio extremo que atinge o país, principalmente o centro-oeste, o chefe de Estado ironizou:

“No belo meio-oeste, as temperaturas do vento estão chegando a 60 graus negativos, o mais frio já registrado. Nos próximos dias, espera-se ficar ainda mais frio. As pessoas não podem ficar fora nem por alguns minutos. O que diabos está acontecendo com o aquecimento global? Por favor, volte rápido, precisamos de você!”, escreveu o presidente.

Cenário mais delicado

Apesar do problema comum para grande parte da população dos Estados Unidos, os moradores de rua estão entre os que mais podem sofrer com o frio extremo. Isso porque grande parte dos sem-teto não frequentam abrigos, e estão expostos às péssimas condições climáticas. Alguns estão tentando juntar dinheiro o suficiente para alugar um quarto de hotel barato para se refugiar, como é o caso de Tony Neeley.

“Muitos de nós não deixam de ir aos abrigos por causa dos percevejos, nós não vamos porque [dentro do abrigo] as pessoas roubam de você, nós não vamos porque você nem consegue dormir no abrigo. Mas meus pés estão frios e essas roupas são tudo o que tenho”, contou ao New York Times.

Autoridades de várias cidades disseram que estão trabalhando, juntamente com ONGs e outras organizações, para garantir a segurança dos desabrigados. Em Chicago, onde existem cerca de 80 mil pessoas em condição de rua, as autoridades afirmaram que foram providenciadas camas extras para abrigos. Prédios públicos como bibliotecas, delegacias e centros comunitários também estão sendo disponibilizados para aquecimento.

O prefeito de Chicago, o democrata Rahm Emanuel, garantiu que as autoridades municipais estão trabalhando para garantir a segurança de todos durante o frio extremo. Segundo o prefeito, “ninguém que precise de um lugar seguro ou quente para ficar será rejeitado”.

 

Leia também: Onda de frio nos Estados Unidos pode chegar a -50ºC

Fontes:
CNN-'Coldest air in a generation' hits the Midwest. Officials warn of almost instant frostbite

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *