Início » Vida » Comportamento » Fukushima pode virar destino turístico
Turismo 'sombrio'

Fukushima pode virar destino turístico

Japão avalia plano para construir cidade no entorno da zona de exclusão da usina nuclear de Fukushima para explorar o fascínio humano com tragédias de grandes proporções

Fukushima pode virar destino turístico
Maquete do projeto para criar uma cidade à beira da zona de exclusão de Fukushima (Reprodução/China Morning Post)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na zona de exclusão em torno da combalida usina nuclear de Fukushima, no Japão, onde a maioria das pessoas vê um terreno baldio contaminado e inabitável por gerações, Hiroki Azuma vê oportunidade.

Azuma, um filósofo, reuniu uma equipe de oito especialistas em diversas áreas e propôs um plano para criar uma nova comunidade à beira da zona de exclusão, que se transformará em um centro para turistas que pretendem visitar o epicentro do segundo pior desastre nuclear da história.

Azuma acredita que a usina de Fukushima, destruída em março de 2011 após um terremoto seguido de maremoto, pode tornar-se um dos mais populares destinos do mundo para o “turismo sombrio”.

“A idéia básica para o projeto surgiu depois de ver a transformação da área em torno da usina nuclear de Chernobyl em uma área turística”, disse.

Visitantes poderiam se hospedar em hotéis na nova comunidade, que já recebeu o nome provisório de Fukushima Village Gate, e que também terá restaurantes, lojas e um museu contando a história do desastre e o impacto que teve na vida das populações locais. Há também planos para construir na cidade centros de pesquisa dedicados ao desenvolvimento de fontes de energia renováveis.

 

Fontes:
South China Morning Post - Fukushima holiday village proposed to tap fascination with disaster

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *