Início » Economia » Futuro das vítimas de travessias no Mediterrâneo ainda é incerto
Imigração ilegal

Futuro das vítimas de travessias no Mediterrâneo ainda é incerto

Mais de 3,2 mil imigrantes aguardam para saber se serão aceitos ou expulsos da União Europeia

Futuro das vítimas de travessias no Mediterrâneo ainda é incerto
Apesar de todas as dificuldade, muitos não se arrependem da viagem (Reprodução/Wikimedia)

Um local que inicialmente foi feito para americanos na base siciliana de Sigonella, em Mineo, na Itália, agora se converteu no maior centro de internação de imigrantes da Europa. Depois de recentes tragédias no Mediterrâneo, 3.240 pessoas, na maior parte homens jovens, esperam para saber se terão refúgio concedido na Europa ou se serão enviados de volta aos seus países de origem.

Com 404 casas de 160 metros quadrados abrigando pessoas de 35 nacionalidades, o diretor do Centro de Acolhida e Petição de Asilo de Mineo, Sebastiano Macarrone, que gerencia o acampamento, tem um grande desafio nas mãos.

Geralmente, durante cerca de 12 meses, os imigrantes ficam no limbo à espera de uma resposta da União Europeia sobre seus pedidos de asilo.

Para piorar, nas últimas semanas, o centro de acolhimento de Mineo foi notícia por outro motivo: suas supostas conexões com a organização mafiosa Roma Capitale, que teria na exploração de albergues para migrantes uma fonte de renda.

 

Fontes:
O Globo-Migrantes que sobreviveram ao Mediterrâneo estão no limbo entre asilo e deportação

1 Opinião

  1. Renato Fregapani disse:

    Como diria o Bento Carneiro: “a vingança será maligna”. A Europa destruiu a África, agora terão que arcar com as consequências.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *