Início » Internacional » Gangues especializadas custam 16% do PIB de El Salvador
INTERNACIONAL

Gangues especializadas custam 16% do PIB de El Salvador

As gangues de El Salvador especializadas em extorsão estão ampliando sua influência no país

Gangues especializadas custam 16% do PIB de El Salvador
As autoridades de El Salvador avaliam que 60 mil a 70 mil pessoas pertencem a gangues (Foto: YouTube)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os salvadorenhos pagam US$756 milhões por ano, cerca de 3% do PIB do país, para gangues, de acordo com um estudo do Banco Central e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Essa extorsão é uma característica intrínseca da vida em El Salvador. Uma enorme rede, meticulosamente organizada, recebe dinheiro das mais diversas atividades, de vendedores ambulantes de tortilla a multinacionais. Grandes extensões do país, inclusive o centro da capital, são controladas pela gangue Mara Salvatrucha e por dois grupos de Barrio 18. As autoridades de El Salvador avaliam que 60 mil a 70 mil pessoas pertencem a gangues e que mais de 500 mil pessoas entre parentes, sócios, políticos corruptos e policiais dependem financeiramente desses grupos.

A altíssima taxa de homicídios de El Salvador é resultado em grande parte das guerras entre gangues para controle de territórios. Segundo um estudo, o custo total da violência no país, incluindo nesse custo os gastos das famílias com segurança e a perda de rendimentos de pessoas impedidas de trabalhar, é de quase 16% do PIB, o mais alto nível da América Central.

As gangues de El Salvador não são tão ricas nem têm a influência política dos traficantes de drogas do México ou dos traficantes colombianos do final da década de 1980. Mas muitos temem que sua influência possa crescer. As gangues agora estão usando o dinheiro obtido nas extorsões para reforçar o capital, advertiu Alex Segovia, um economista e consultor de Mauricio Funes, o presidente de El Salvador de 2009 a 2014. Com um capital maior, as gangues terão condições de se infiltrarem em negócios legítimos e de exercer mais poder sobre vários níveis do governo e da polícia.

Fontes:
The Economist-The gangs that cost 16% of GDP

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *