Início » Internacional » Geleiras estão derretendo e expondo cadáveres no Everest
SEPULTADOS NO GELO

Geleiras estão derretendo e expondo cadáveres no Everest

Corpos de alpinistas que morreram tentando escalar a montanha estão sendo expostos devido ao aquecimento global

Geleiras estão derretendo e expondo cadáveres no Everest
Desde 1922, quase 300 alpinistas morreram tentando escalar o Monte Everest (Foto: Wikimedia)

O derretimento de geleiras no Monte Everest está expondo os corpos de alpinistas anteriormente sepultados no gelo. O fenômeno é fruto do aquecimento global, que faz com que as temperaturas subam, resultando no derretimento. Quase 300 alpinistas morreram tentando escalar a montanha desde a primeira tentativa, em 1922.

Enquanto a temporada de escalada da primavera começa, corpos que estão sendo expostos pelas geleiras estão sendo removidos no lado chinês do pico, informou a BBC News.

“Devido ao aquecimento global, o manto de gelo e as geleiras estão derretendo rapidamente e os cadáveres que permaneceram enterrados durante todos esses anos estão se tornando expostos”, disse Ang Tshering Sherpa, ex-presidente da Associação de Montanhismo do Nepal.

“Nós removemos cadáveres de alguns montanhistas que morreram nos últimos anos, mas os antigos, que permaneceram enterrados, agora estão aparecendo”, afirmou Sherpa.

Em 2017, a mão de um alpinista morto apareceu acima do solo. Operadores de expedição disseram que eles mobilizaram escaladores profissionais para remover o corpo. Os montanhistas dizem que, nos últimos anos, a maioria dos cadáveres vem aparecendo na cascata de gelo de Khumbu, que tem a reputação de ser uma parte particularmente perigosa da subida, e na área final do acampamento, localizada em South Col.

A remoção de um cadáver pode custar até US$ 80.000. Um estudo de 2015 apontou que as lagoas da geleira de Khumbu, que são atravessadas por alpinistas à medida que tentam chegar ao cume, estavam se expandindo e se juntando por causa do derretimento acelerado. O exército do Nepal drenou o lago Imja, perto do Monte Everest, em 2016, depois que a água do rápido derretimento glacial atingiu níveis perigosos.

Outra equipe de pesquisadores, incluindo membros das universidades de Leeds e Aberystwyth, no Reino Unido, no ano passado, perfurou a geleira de Khumbu e descobriu que o gelo está mais quente do que o esperado. O gelo registrou uma temperatura mínima de apenas -3,3 °C, com o gelo mais frio sendo 2 °C mais quente que a temperatura média anual do ar.

Leia também: Geleira no Everest está derretendo

Fontes:
The Guardian-Mount Everest: melting glaciers exposing bodies of climbers

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *